Sandra Bullock e sua cidade perdida

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Bullock: A estrela em seu dia de Indiana Jones.

A veterana Sandra Bullock esta de volta aos cinemas fazendo aquilo que ela mais gosta. Ou seja, um filme de ação contínua. “Cidade Perdida” estreou nos cinemas na quinta feira passada e explora um território que já foi percorrido pela Jodie Foster em “A ilha da imaginação” e o Dwayne Johnson no recente “Jungle Cruise”. Andaram dizendo  que “Cidade Perdida” seria um remake de “Tudo por uma esmeralda” sucesso do Michael Douglas nos anos de 1980. Mas na verdade “Cidade Perdida” é meio que uma salada de ideias tiradas de vários filmes.

Aqui Sandra Bullock é Loretta Sage, uma escritora de romances de ação que gosta de viver isolada em sua casa. Desde que seu marido morreu ela passou a detestar seu trabalho como escritora, principalmente as viagens que é obrigada a fazer para promover os livros. Nessas turnês promocionais ela é obrigada a usar um vestido colante de tecido brilhante e posar ao lado do modelo masculino que figura na capa dos seus livros. Alan interpretado pelo Channing Tatum.

Numa dessas viagens nossa heroína é sequestrada por um vilão com nome feminino. Abigail Fairfax (Daniel Radcliffe) quer a ajuda da escritora para encontrar a “Coroa de Fogo” uma jóia localizada nas ruínas de uma antiga cidade maia. Acontece que as tais ruínas ficam perto de um vulcão que esta prestes a entrar em erupção. Alan, que esta acostumado a posar de herói para as capas dos livros, resolve se tornar um herói de verdade. E com a ajuda de um ex-soldado das forças especiais norte-americanas (interpretado pelo Brad Pitt) ele entra na selva para salvar Loretta dos inúmeros perigos.

E aqui vai um alerta para as fãs do Brad Pitt. Ele faz apenas uma pequena participação como o instrutor do herói. A ação fica por conta do Channing Tatum e da Sandra Bullock, um par com ampla experiência no gênero. É bom lembrar que Sandra Bullock ficou famosa nos anos de 1990 pilotando um ônibus desgovernado com o Keannu Reeves. Depois ela tentou repetir a experiência com um navio desgovernado mas o público não embarcou na aventura. Daí que a atriz deixou o gênero “ação” por uns tempos para virar a rainha das comédias românticas. Mas na última década ela voltou a filmar aventuras frenéticas, incluindo a odisseia espacial “Gravidade” ao lado do George Clooney.

Ninguém entra num cinema para ver um filme como “Cidade perdida” esperando uma obra prima. O filme funciona como diversão pura, fazendo a plateia se esquecer dos problemas do dia a dia por duas horas. Sandra Bullock nem sonhava em virar estrela quando os filmes de aventuras na selva e busca de tesouros viraram moda, nos anos de 1980, com o sucesso do Indiana Jones do Harrison Ford. Que sempre vivia suas aventuras ao lado de uma parceira bonita.

E é basicamente isso que Bullock e Tatum tentam fazer, acrescentando muitos toques de comédia para descontrair a plateia. Afinal depois da pandemia e no clima de catástrofe em que vivemos quase ninguém vai ao cinema para ver drama e sofrimento. As notas de produção dizem que a Sandra Bullock tentou contratar o Ryan Reynolds para ser seu par neste filme, mas o ator não conseguiu chegar a um acordo com a produtora. Ele não imagina o que perdeu. O filme esta indo muito bem na bilheteria e talvez tenha até uma continuação. Se o leitor procura diversão, pegue seu saco de pipoca e embarque nessa aventura.

 

Por Jorge Luiz Calife

O post Sandra Bullock e sua cidade perdida apareceu primeiro em Diário do Vale.



Fonte: Diário do Vale