RJ bate recorde de pedidos de internação por Covid e fila de espera chega a 232 pacientes | Rio de Janeiro

0
17


No último final de semana, o Estado do Rio de Janeiro bateu o recorde de pedidos para internação de pacientes com a Covid-19 em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). No sábado (13) e no domingo (14), foram 344 solicitações.

Só nas últimas 24 horas, foram registrados 114 novos pedidos para internação em UTI.

Com o aumento do número de pessoas precisando de leitos preparados para atender os casos mais graves da doença, a fila de espera por uma vaga de UTI também vem crescendo.

Em todo o estado, às 16h58 desta segunda-feira (15), 232 pacientes com Covid-19 estavam na fila de espera, sendo 171 aguardando por leitos de UTI e 61 para enfermaria.

Só na capital fluminense, são 73 pessoas aguardando por um leito especializado.

Na opinião de Alexandre Chieppe, médico sanitarista da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, órgão ligado à Secretaria Estadual de Saúde, a situação exige alerta máximo das autoridades.

“O Rio começa a experimentar um aumento do número de internações, apesar dos indicadores epidemiológicos ainda não mostrarem uma piora significativa. Os indicadores, isso é tempo de espera por uma vaga e número de internações começam a aumentar. É o momento de alerta máximo. É o momento de a gente avaliar a cada dia, intensificar as ações preventivas porque existe a possibilidade de uma piora nos próximos dias”, alertou Chieppe.

De acordo com o Censo Hospitalar Público, disponível na internet, são 1.164 pessoas internadas com covid ou com suspeita da doença na rede SUS da capital.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio anunciou a abertura de mais 10 leitos no Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, e disse que outros 100 novos leitos seriam contratados em hospitais particulares por meio de convênios até o fim da semana.

Ainda assim, a taxa de ocupação de leitos da rede SUS da capital, principalmente os leitos de UTI, se mantém elevada. Nesta segunda-feira (15), a ocupação de leitos de UTI era de 91%.

“Nós vivemos o pior momento da pandemia no Brasil (…) Quando tem qualquer pessoa esperando o direito de ser internado isso realmente é inadmissível. Não há dúvida de que a prefeitura do Rio tem feito um esforço louvável pra aumentar a disponibilidade, mas a demanda é muito grande. (…) Eu considero que a situação é muito grave sim”, disse Margareth Dalcolmo, pneumologista e pesquisadora da Fiocruz.

Desde o começo da pandemia, 34.330 pessoas morreram de covid no estado. A média móvel é de 86 mortes por dia, nos últimos sete dias. Esse número representa uma queda de 22% em relação a duas semanas atrás.

“Os indicadores epidemiológicos de casos graves e de óbitos está menor que nos outros estados. Mas agora a gente tem que avaliar para ver se este cenário não vai modificar no futuro”, comentou Chieppe.

Enquanto os números da Covid-19 avançam, o calendário de vacinação está paralisado em Duque de Caxias e no Rio, dois dos três maiores municípios do estado.

Calendário de vacinação aqui da capital está parado
Calendário de vacinação aqui da capital está parado

Calendário de vacinação aqui da capital está parado

A retomada do plano de imunização depende da chegada de novos lotes da vacina no Rio de Janeiro.

O governador em exercício do Rio, Cláudio Castro (PSC), espera anunciar até sexta-feira (19) quantas doses de vacina contra Covid-19 devem ser compradas pelo estado para pronta entrega.

No sábado (13), Castro autorizou a compra de 5 milhões de doses. Ao G1 a assessoria do Palácio Guanabara informou que ainda não há confirmação de qual vacina seria comprada e o prazo de entrega.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui