Projeto ‘Arte Urbana pela Vida’ colore muro da Cúria com temas sobre a Covid-19

0
19


O espaço foi inaugurado no dia 1º de maio e tem encantado moradores e motoristas que passam pelo local – Foto: Divulgação PMVR.

Volta Redonda- Lançado em abril pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC), o projeto “Arte Urbana pela Vida” escolheu o muro do estacionamento da Cúria Diocesana, na Rua 18-A, na Vila Santa Cecília, para expor o seu trabalho.

De acordo com a iniciativa,  a secretaria de cultura convidou oito artistas para grafitarem suas artes em espaços públicos da cidade, com o tema: conscientização às medidas de prevenção à Covid-19, onde fizeram uma parceria inédita com a Diocese Barra do Piraí – Volta Redonda.

O espaço foi inaugurado no dia 1º de maio e tem encantado moradores, mas também levando à reflexão sobre o “novo normal”. Na grafitagem, os artistas também prestaram homenagens aos profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate à doença.

“Ficou ótimo o muro. Maravilhoso. É um espetáculo para os olhos. Têm que fazer também em outros lugares, tirar um pouco do cinza dessa cidade e levar mais cores vivas”, disse o estudante universitário Rafael da Silva.

A funcionária do estacionamento rotativo no espaço da Cúria Diocesana, Maria de Fátima, que trabalha no local diariamente das 7h30 às 13 horas, não economizou palavras para elogiar.

“Ficou bonito demais o muro. Essas obras de arte deixaram a alma da gente mais alegre, mais leve para trabalhar. Alegrou muito aqui o estacionamento, trouxe para a gente mais esperança com esse colorido. As pessoas chegam de outras cidades; de Barra do Pirai, de Vassouras, já vão direto tirar fotos, querem saber quem fez, se tem os contatos e não param de elogiar a beleza que ficou o muro pintado pelos artistas”, afirmou.

Passando pelo local para buscar o carro no estacionamento, o eletricista Bruno Diniz, disse que o trabalho ficou “bom demais” e que deveria ser expandido para outros espaços e citou o muro do Clube Umuarama, também na Vila Santa Cecília.

O secretário de Cultura de Volta Redonda, Anderson de Souza, lembrou que para participar do projeto, de forma voluntária, os artistas tiveram que se inscrever. A ideia, segundo Anderson, foi justamente “doar o talento” na conscientização do uso de máscara e higienização das mãos na prevenção ao novo coronavírus.

“Todo o trabalho dos artistas visa chamar a atenção das pessoas quanto à necessidade de se proteger contra o vírus”, destacou Anderson.





Fonte: Diário do Vale