Polícia procura um dos bandidos mais violentos da Costa Verde

0
10


Angra dos Reis – O Disque Denúncia Angra (0300 253 1177) através do Portal dos Procurados, está divulgando um cartaz para ajudar a 166ª DP (Angra dos Reis) a obter informações que possam levar às prisões de Leonardo Oliveira da Conceição, o Leleco, de 29 anos; de sua mulher Thamires Silva de Oliveira, de 22, e de dois integrantes da quadrilha, Silvino Honório de Souza, o Paraíba, 31 anos, e Patrick Danilly de Castro Araújo, Maquinista, de 24.

Eles fazem parte do tráfico de drogas que age nos bairros de Camorim Grande, Caixa D’Água e Fortaleza, em Angra dos Reis, e são considerados foragidos da Justiça.

Leleco é considerado um dos líderes mais violentos da facção criminosa que atua na Costa Verde do Rio de Janeiro. Ele também é suspeito de envolvimento em vários crimes cometidos nos últimos anos na cidade. Entre eles, o de um casal de enfermeiros encontrados mortos, dento de casa, no bairro Camorim Grande, em fevereiro de 2020, e também de atirar em julho do mesmo ano, contra o prédio onde funciona o Fórum de Angra dos Reis. Ele também é ligado a diversos roubo de cargas na região.

Em uma operação, nesta terça (22), foram presos três integrantes da quadrilha de Leleco, sendo eles: João Vitor de Oliveira Almeida, o ‘Jota’, de 20 anos, apontado como um dos gerentes do tráfico nas localidades da Carioca e Fortaleza e autor de tentativa de homicídio; Júlia Raymundo Duarte, de 19, responsável por recolher os lucros das bocas de fumo da região; e Rangel Ramos Liberato, de 20, todos membro do tráfico local. Houve confronto durante o cumprimento dos mandados de prisão.

Contra os quatro foragidos, foi expedido um mandado de prisão pela 1ª Vara Criminal de Angra dos Reis, pelo crime de Tráfico de Drogas, com pedido de Prisão Temporária.

O Disque Denúncia recebe informações sobre a localização de Leleco e membros da quadrilha através do telefone 0300 253 1177 (custo de ligação local), pelo aplicativo “Disque Denúncia RJ” ou pelo WhatsApp (21) 98849-6099. Em todos os canais, o anonimato é garantido ao denunciante.





Fonte: Diário do Vale