Moradora de Volta Redonda diz que exames de Covid-19 deram positivo duas vezes em três meses

0
49



Técnica de enfermagem, Luciana Coutinho, de 39 anos, realizou o primeiro exame em maio e o segundo na última terça-feira. Uma técnica de enfermagem, moradora de Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro, diz ter sido infectada pelo novo coronavírus duas vezes em um prazo de três meses. De acordo com Luciana de Paula Coutinho, ela realizou o primeiro exame em maio e o segundo, na última terça-feira (4) e os dois deram positivo.
O primeiro teste foi feito no dia 14 de maio, no Hospital do Retiro, em Volta Redonda, e o segundo, no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, na Ilha do Governador, no Rio. Segundo Luciana, de 39 anos, os sintomas iniciais foram leves.
“Senti muita dor de cabeça e dor no corpo, como se tivesse gripada. Fiz o teste, na ocasião, porque duas colegas que trabalham comigo testaram positivo”, disse. O teste realizado por Luciana foi o swab, uma haste semelhante a cotonete, que é introduzido no nariz.
Após duas semanas de isolamento domiciliar, a técnica voltou à rotina de trabalho nos hospitais Geral da Japuíba, em Angra dos Reis, e no Hospital do Fundão, no Rio.
“Quando retornei, fiz um teste rápido no hospital de Angra, que deu ok e, então, voltei ao trabalho”, contou Luciana.
Luciana fez teste rápido quando voltou à rotina
Arquivo Pessoal
No último sábado (1°), Luciana voltou a sentir sintomas de resfriado, mas, como já tinha sido infectada, não pensou que pudesse ser Covid-19 mais uma vez.
“Apresentei sintomas de sinusite. Tive dor de cabeça, dor nos olhos, gripe, nariz entupido. Na terça-feira, o hospital do Fundão realizou testes nos funcionários que estavam de plantão. Ontem [quinta-feira (6)], minha chefe me ligou e disse que deu positivo. Não acreditei. Fiquei surpresa”, disse Luciana. Assim como na primeira vez, a técnica realizou o teste swab.
“Eu fico muito preocupada porque eu moro com meus pais. Eles são idosos, grupo de risco. É muito complicado ter que ficar trancada dentro do quarto e meu filho [de quatro anos] perguntando porque estou lá, sem entender”, contou. Luciana mora com os pais, o esposo e dois filhos, de quatro e 12 anos.
Ainda segundo a técnica de enfermagem, a equipe de vigilância epidemiológica de Volta Redonda entrou em contato com ela para ir até a Vila Mury na noite desta sexta-feira (7) realizar um novo exame de contraprova.
O G1 entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde e com a prefeitura de Volta Redonda, que informaram que estão apurando o caso. Confira abaixo as respostas.
A prefeitura de Volta Redonda, através do setor Vigilância Epidemiológica, está em contato com os órgãos envolvidos, averiguando a veracidade das informações.
A Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES informa que não possui informações sobre o caso e que irá apurar com os municípios.
*Texto revisado por Renan Torentino
Exame de Covid-19 feito pela paciente.
Reprodução/Arquivo Pessoal
Teste de Covid-19 realizado pelo Lacen.
Reprodução/Arquivo Pessoal


Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui