Empreendimentos imobiliários mudam as margens da Rodovia do Contorno

0
15


Local já conta com um condomínio de alto padrão, um bairro planejado para a classe média e pode ganhar conjunto habitacional para metalúrgicos

Jardim Mariana Rubi é um dos empreendimentos às margens da Rodovia do Contorno
(Foto: Divulgação)

Volta Redonda – Inaugurada no fim de 2017, depois de quase trinta anos do início das obras, a Rodovia do Contorno tinha como objetivo original retirar do Centro de Volta Redonda uma grande quantidade de caminhões e outros veículos pesados. A meta foi atingida, e atualmente só entram no Centro de Volta Redonda caminhões e carretas que precisam carregar ou descarregar na cidade. No entanto, se o trânsito pesado saiu do centro da cidade, agora é a cidade quem procura o trânsito pesado.

Dois empreendimentos imobiliários já estão instalados no local. Antes mesmo da inauguração da Rodovia do Contorno, o condomínio residencial Alphaville, de alto padrão, já havia sido instalado às margens da estrada. O acesso foi feito por vias alternativas até a entrega da rodovia.

Em seguida, começou a ser construído às margens da Rodovia do Contorno o Jardim Mariana, um bairro planejado começou a ser habitado em agosto de 2020. Os edifícios, com oito pavimentos, são dotados de dois elevadores e de equipamentos de lazer completos – incluindo piscinas – destinados a clientes que disponibilizam renda a partir de R$1.600,00 (mil e seiscentos reais).

Agora, a CSN e o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense estão se preparando para um novo empreendimento no local. O sindicato já efetuou uma pesquisa para saber se o trabalhador da CSN, primeiramente, tem interesse em adquirir a sua “casa própria”, através de um  projeto de um financiamento.

O questionário buscará saber qual o valor dos vencimentos e da renda mensal familiar, se o futuro morador tem preferência por casa ou apartamento, quantas pessoas vão residir na mesma moradia, quantos banheiros haverá, entre outras informações que vão ajudar na elaboração do projeto de construção.

“É fundamental que o funcionário ou a funcionária da CSN preencha o formulário, que estará disponível até o dia 14, para que o projeto atenda, em sua maioria, às necessidades dos metalúrgicos. Esse projeto pretende resolver um problema que muitos desejam resolver e sair do aluguel”, ressalta o presidente, Silvio Campos.

Esta não será a primeira vez que a CSN faz empreendimentos imobiliários em parceria com o Sindicato: bairros como Volta Grande I, II, III e IV e o Vila Rica Tiradentes tiveram essa mesma origem.

Sem posse

Uma vantagem pouco mencionada pelos empreendedores é que os terrenos onde esses empreendimentos são vendidos, e mesmo os terrenos vizinhos, pertencem a empresas ou famílias. Com isso, é praticamente impossível que venham a ser formadas áreas de posse no local, o que costuma desvalorizar imóveis.





Fonte: Diário do Vale