Traficante torcedor do Flamengo usava documento falso com nome de jogador do time no momento de prisão | Bahia

0
42


Nei Carlos estava foragido do Rio de Janeiro e é apontado pela polícia como a principal liderança de uma organização criminosa do estado. Além disso, ele também é investigado por homicídios e fornecimento de armamento de diversas comunidades da região serrana do RJ.

De acordo com a polícia, Nei Carlos se hospedou no hotel com documentos falsos em nome de Bruno Henrique Santos de Souza. Bruno Henrique é um dos principais jogadores do Flamengo. No momento da prisão, o traficante estava com uma camiseta do clube, além de joias de ouro com o brasão do time.

Entre as joias encontradas também estavam correntes com pingentes de uma bíblia, de Nossa Senhora Aparecida, do sagrado coração de Jesus e um o “rosto” de Jesus. Dois relógios de ouro e R$ 61,3 mil em cédulas também foram encontrados. O valor das joias ainda não foi estimado.

Nei Carlos segue custodiado na Serviço de Polícia Interestadual (Polinter) nesta sexta (23). A polícia não informou se a esposa e a filha de Nei Carlos também estão detidas.

O delegado Claudio Batista, da Polícia Civil do Rio de Janeiro, detalhou que ele estava sendo monitorado por causa da atuação da facção, que é considerada uma das mais agressivas do estado. Disse ainda que Nei Carlos sabia que estava sendo vigiado.

“Investigações dessas duas unidades apontam o Ti Baiano como responsável por homicídios e pela distribuição da grande quantidade de drogas nas principais comunidades de Petrópolis, Três Rios e Comendador Levy Gasparian. Ti Baiano é apontado como autor intelectual do homicídio de um adolescente ocorrido no dia 7 de setembro. Esse homicídio aconteceu em virtude desse adolescente ter contraído uma dívida com a organização, a qual ele não pode pagar e foi perseguido e executado brutalmente”, disse o delegado.

Estadia discreta em Salvador

Traficante torcedor do Flamengo usava documento falso com nome de jogador do time no momento de prisão — Foto: Reprodução/TV Bahia

Nei Carlos chegou a Salvador na segunda-feira (19) e deu entrada no hotel. A unidade informou que ele disse que tinha intenção de ficar na capital baiana por 15 dias. O traficante chegou a pagar à vista três diárias de dois quartos, um ocupado pelo casal e outro pela filha.

Segundo os funcionários hotel, Nei Carlos era muito discreto e não tomou café da manhã na área comum em nenhum dia de hospedagem. A única movimentação do traficante fora do quarto foi na quinta-feira (22), quando ele resolveu ir para a área da piscina, onde foi preso pelos policiais.

O delegado Cláudio Batista contou ainda que as equipes de inteligência do Rio de Janeiro descobriram a viagem de Nei Carlos com antecedência e acionaram a Polícia Civil na Bahia. Na madrugada de quinta, o delegado e outro policial também chegaram a Salvador, e se hospedaram no mesmo hotel.

Tanto o delegado quanto o policial passaram a se comportar como hóspedes, para acompanhar a movimentação de Nei Carlos e efetuar a prisão. A polícia disse que ainda não sabe o que o traficante estava fazendo na Bahia, mas suspeita que estaria negociando armas.

“A prisão do Ti Baiano tem impacto significativo na região, por conta das evidências já levantadas, no sentido de que ele, como sendo a principal liderança, deixa desamparado um segmento grande de traficantes, que praticam diariamente crimes nessas cidades apontadas”, disse o delegado.

Até a publicação desta reportagem, não havia informações sobre quando Nei Carlos será transferido para o Rio de Janeiro.

Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.

Foragido apontado pela polícia como integrante de facção no RJ é achado com dinheiro e joias em hotel de Salvador — Foto: SSP-BA / Divulgação

Traficante torcedor do Flamengo usava documento falso com nome de jogador do time no momento de prisão — Foto: Reprodução/TV Bahia

Assista aos vídeos do Bahia Meio Dia 💻



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui