Temporal causa morte, destruição e deixa comunidade ilhada em Cachoeiras de Macacu | Região Serrana

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


As chuvas que atingiram Cachoeiras de Macacu (RJ) no sábado (2) e madrugada de domingo (3) fizeram o volume do rio Macacu subir causando uma morte e afetando várias regiões da cidade.

Em Faraó de Cima, uma mulher de 42 anos morreu após ser carregada pela força das águas. A ponte da localidade foi destruída e os moradores estão ilhados, sem energia e sem condições de escoar a produção agrícola para outras regiões, como a capital, por exemplo.

Uma pessoa morreu arrastada pela força das águas durante temporal em Cachoeiras de Macacu — Foto: Reprodução redes sociais

Além de Faraó de Cima, foram afetadas as localidades de Faraó, Ganguri de Baixo, Boa Vista, Sant’Anna de Japuíba, Marubaí e Morro do Cléber (Cidade Alta). Segundo a Defesa Civil, foram registrados em sistema de acompanhamento e nos medidores pluviométricos do bairro Ganguri (próximo ao Centro), 125 mm em apenas um dia.

Chuva provoca uma morte em Cachoeiras de Macacu, no RJ

A equipe técnica do Centro de Geoprocessamento de Dados do município (CIGEO/PMCM ) explica que o rio Macacu, seus rios tributários e áreas de drenagem percorrem todo o município, gerando – por força de gravidade – um volume maior de água que converge para um mesmo destino.

Tromba D’água afetou as regiões de Faraó e Faraó de Cima, onde uma mulher foi levada pela correnteza e morreu — Foto: Divulgação Defesa Civil de Cachoeiras de Macacu

“Logo, em períodos de muita chuva, o rio sobe e a água se represa com muita velocidade e intensidade, causando transtornos estruturais. Os prejuízos materiais ainda são incalculáveis, dado ao fato ser extremamente recente”, explica a Prefeitura.

Chuva causou inundação na comunidade de Marubaí, em Cachoeiras de Macacu — Foto: Divulgação Defesa Civil

O município explica ainda que equipes da Prefeitura estão, desde o ocorrido, presencialmente em turnos diferentes, intercalando equipes de acolhimento da Secretaria Municipal de Promoção Social e Trabalho; Autarquia de Águas e Esgoto; Gabinete do Prefeito; Secretaria Municipal de Obras; de Agricultura; Ordem Pública; Defesa Civil; Secretaria de Saúde e Secretaria do Ambiente.

Bairro Ganguri também foi afetado pelas chuvas em Cachoeiras de Macacu — Foto: Defesa Civil/Prefeitura de Cachoeiras de Macacu

Os órgãos fazem parte do Comitê de Gestão de Crises, instalado no Gabinete pelo prefeito Rafael Miranda, que emitiu a seguinte nota oficial:

“Com muito trabalho e boa relação com o Governo do Estado RJ, conseguimos, em menos de 48h, iniciar os trabalhos de desobstrução de estradas após a calamidade que assolou toda a comunidade do Faraó, na madrugada de sábado. Uma escavadeira hidráulica rompedoura, equipamento inédito no município, iniciou os trabalhos de quebramento de pedras para facilitar a desobstrução do acesso ao Faraó de Cima. Agradeço à Câmara de Vereadores que tem estado ao lado do Governo Municipal. Agradeço imensamente ao Governador Cláudio Castro, que assim que entrei em contato, se disponibilizou a ajudar. Agradeço à todas as pessoas que direta ou indiretamente estão nos ajudando nessa missão e faço um agradecimento especial à Cerci (Companhia Elétrica Rural) que tem trabalhado para restabelecer o fornecimento de energia elétrica na localidade, após as chuvas”, disse o prefeito.

A Prefeitura lembra que as chuvas de verão também causaram grandes transtornos em diferentes partes da cidade em janeiro deste ano, especialmente, na localidade rural de Marubaí, que foi novamente atingida.



Fonte: G1