Seringas e agulhas chegam em Petrópolis, RJ, para as primeiras etapas da vacinação contra a Covid-19 | Região Serrana

0
31


Chegaram neste sábado (16), em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, 100 mil seringas e agulhas para a vacinação contra a Covid-19.

Os insumos foram enviados pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro e serão utilizados nas quatro primeiras fases do Plano Municipal de Imunização, que segue as determinações do Ministério da Saúde, que só ficará pronto na segunda-feira (18).

A estimativa é que 99 mil habitantes sejam imunizados nas quatro primeiras fases do plano, sendo 30 mil na primeira, 40 mil na segunda, 23 mil na terceira e 6 mil na quarta. A informação foi repassada numa reunião virtual entre os Ministérios Públicos Federal e Estadual e a Secretaria de Saúde, que esclareceu que a estimativa da população é com base nos dados do Sistema Único de Saúde.

Em entrevista ao G1, o Secretário de Saúde, Aloísio Barbosa Filho, disse que “existe previsão de iniciar em breve a campanha de vacinação. Já tivemos uma reunião com o Ministro da Saúde na última quinta-feira, que garantiu que a vacina deverá ser apresentada já na próxima semana ou no fim do mês, e, a previsão é que Petrópolis receba, inicialmente, em torno de 99 mil doses”.

De acordo com a Prefeitura, a primeira fase vai contemplar os trabalhadores da saúde, idosos a partir dos 75 anos, e idosos a partir dos 60 anos que vivem em asilos ou em instituições psiquiátricas. Já na segunda, serão vacinados idosos entre 60 e 74 anos. Na terceira fase, pessoas com comorbidades, e, na quarta fase, professores e trabalhadores das forças de segurança e salvamento.

O secretário de saúde deve participar na próxima segunda de uma reunião com a Secretaria Estadual de Saúde do RJ, onde deverão ser definidos os próximos passos quanto à imunização em todo estado.

“Até que toda a população seja imunizada, é importante mantermos todos os cuidados, lembrando sempre que a pandemia não acabou”, finalizou o Aloísio.

Cem mil seringas e agulhas para a vacinação contra a Covid-19 foram enviadas para a cidade — Foto: Prefeitura de Petrópolis/Divulgação

Os insumos para a vacinação chegaram num dos piores momentos da pandemia na Cidade Imperial. Só em janeiro foram mais de 1.500 novos casos e 39 pessoas morreram por causa da doença nos primeiros quinze dias de 2021.

“As aglomerações que aconteceram no final de 2020 com certeza são a causa da explosão de casos na cidade. As pessoas não se preocuparam com o distanciamento social, que é fundamental para o controle doença, enquanto a vacina não chega; além do uso da máscara, porque muitas pessoas são negacionistas com relação a isso”, disse o infectologista Marcos Liserre.

Neste sábado, enfermarias e UTIs do SUS estavam mais 64,62% e 66,67% ocupadas, respectivamente, com 189 internados. Já são quase 13.700 casos e 436 mortes, de acordo com o ultimo boletim divulgado pela Prefeitura.

Mudanças nos atendimentos

Ponto de apoio do Cascatinha, funciona 24h com atendimento médico e testagem — Foto: Lucas Machado/G1

A Prefeitura desativou o ponto de apoio da UPA Centro, e está mudando o esquema de atendimento para pacientes com suspeita da Covid-19.

Na última quinta-feira (14), foi aberta a tenda da UPA do Cascatinha, para casos moderados a graves. Só na sexta (15), foram 88 atendimentos. O local funciona 24h com equipes médicas e de enfermagem, para o atendimento e testagem dos pacientes.

Os casos leves devem ser encaminhados ao Hospital Municipal Doutor Nelson de Sá Earp, no Centro, e à tenda de Itaipava, ao lado da UBS Dr. Ângelo Fortuna, às margens da BR-395.

Nesses locais, o atendimento médico é das 8h às 20h, mas segundo a Prefeitura, as equipes de enfermagem estão atendendo 24h para a realização de testes nos pacientes.

O infectologista, Luís Arnaldo Magdalena Pereira, alerta que a população está vivendo um momento delicado e crítico da pandemia.

“É um momento em que, mais do que nunca, a gente tem que manter as medidas de prevenção contra a Covid-19. Por enquanto, a gente tem conseguido internar os pacientes, mas temos receio que, daqui a algumas semanas, o sistema de saúde esteja saturado no nosso município”, afirmou o infectologista.

Atendimentos ‘não Covid’

As pessoas que precisam de atendimento não Covid podem procurar a UPA Centro, a UPA Itaipava e o Pronto Socorro Leônidas Sampaio, no Alto da Serra.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui