Sem acordo entre sindicatos, comércio em Petrópolis vai ficar fechado no feriado de 1º de maio | Região Serrana

0
26


O comércio de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, ficará fechado neste sábado, 1º de maio, quando é comemorado o feriado do Dia do Trabalhador. Os estabelecimentos não vão poder abrir porque não houve um acordo entre o Sindicato do Comércio (Sicomércio) e o Sindicato dos Empregados do Comércio na cidade.

Segundo o Sicomércio, houve uma tentativa de negociação mas os diretores do Sindicato dos Empregados não concordaram.

Entre os argumentos do Sicomércio para justificar a abertura no feriado estão as medidas de restrição do funcionamento em decretos, recesso sanitário (pausa emergencial de 10 dias) no estado do Rio, restrição no horário de funcionamento, redução do fluxo de pessoas circulando nas ruas e a falta de ajuda governamental. Por conta desses motivos, o comércio teve uma queda de nas vendas.

“O Sicomércio pleiteou a abertura do comércio excepcionalmente pois o feriado este ano cai em um sábado que antecede o Dia das Mães. Nossas vizinhas Nova Friburgo e Teresópolis estarão abertas e o município vai perder a oportunidade de realizar vendas na segunda melhor data do ano para vendas. Foram várias tentativas de negociação, mas não cederam”, explica Marcelo Fiorini, presidente do Sicomércio.

A concessão de folga no dia 1º de maio, data que marca do Dia do Trabalhador é um direito adquirido por Convenção Coletiva da categoria. O Sicomércio acredita que depois de um impacto negativo no faturamento das empresas que acarretou o fechamento de inúmeros postos de trabalho, poderia haver uma exceção para o funcionamento este ano.

“Ano passado estávamos fechados durante o período que antecedeu o Dia das Mães. A pandemia nos prejudicou muito e alguns parceiros nem conseguiram manter suas empresas e consequentemente os empregos que geravam. Isso é uma excepcionalidade. Nós precisamos trabalhar para tentar equilibrar as contas a cada final de mês e garantir o salário em dia para nossos colaboradores”, informa Marcelo.

O empresariado associado ao Sicomércio disse que reconhece que a data comemorativa é importante para os colaboradores, mas ressalta que o setor foi um dos mais prejudicados pelas medidas de contenção do novo coronavírus. Entre 2020 e este ano, foram 100 dias de portas fechadas, além de restrições nos horários de funcionamento.

“A data é extremamente importante pois marca a luta do trabalhador brasileiro na conquista dos seus direitos. Mas sem faturamento, muitos não poderão manter os empregos e esse trabalhador que comemora um feriado hoje, pode não ter nada para celebrar no próximo ano se ficar desempregado”, reflete Marcelo.



Fonte: G1