Robô falante auxilia crianças na prevenção contra a Covid-19 em escola de Petrópolis, no RJ | Região Serrana

0
18


Um robô falante está auxiliando crianças, alunas de uma escola particular no Centro de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, nas medidas de segurança contra a Covid-19. O robô foi construído por um casal de professores do colégio e, além de falar, ensinando sobre higienização das mãos, despeja álcool em gel.

A criação é de Robson Tomé e Ana Lúcia Tomé, professores de robótica do colégio. Durante as férias, o casal pensou em uma forma de recepcionar os alunos na volta às aulas. Assim, surgiu a ideia de montar o robô, que ficou pronto rapidamente.

Robô faz sucesso em escola de Petrópolis orientando alunos na prevenção contra a Covid-19
Robô faz sucesso em escola de Petrópolis orientando alunos na prevenção contra a Covid-19

Robô faz sucesso em escola de Petrópolis orientando alunos na prevenção contra a Covid-19

“A ideia se materializou rápido. É uma forma de recepcionar as crianças e surpreendê-las, na falta do abraço, do contato mais próximo”, conta Robson, que também leciona em escolas municipais e estaduais na cidade.

“[Dessa forma] você consegue colocar a tecnologia junto com tudo que a gente tem que utilizar pra que as crianças fiquem seguras’, disse Ana Lúcia.

O robô tem aproximadamente 80 centímetros de altura e fica em cima de uma mesa, em uma área comum do colégio. Na mão direita, ele segura um cartaz de boas-vindas. Na esquerda, um pote de álcool em gel. A máquina é formada por blocos que se encaixam, uma central de comando e caixas de som para reproduzir a voz humana de forma robótica.

A tecnologia funciona por meio de sensores de proximidade, evitando, portanto, o contato dos alunos com o objeto. A criança agita as mãos em frente aos olhos do robô, que por meio do sensor, detecta a movimentação e começa a funcionar.

“Vamos higienizar as mãos. Coloque as mãos embaixo do álcool em gel”, diz o robô.

Na mão esquerda, a máquina segura um frasco de álcool em gel, que, logo após a fala, é virado, despejando o antisséptico na mão dos alunos. Além disso, o robô também deseja as boas-vindas à escola e usa máscara de proteção.

Retorno às aulas presenciais

A Prefeitura de Petrópolis liberou, no início de maio, a volta às aulas nos colégios particulares da cidade de maneira híbrida, com aulas presenciais e pela internet. Na escola, o robô que ajuda na higienização das mãos virou sensação entre as crianças.

“Eu nunca tinha visto um robô. Eu achei ele muito legal. A gente pode se higienizar brincando também”, disse a aluna Sophia, de 11 anos.

Robô fala e despeja álcool em gel na mão de alunos de escola de Petrópolis — Foto: Reprodução/Inter TV

Robson Tomé conta que, apesar do projeto inicial contar somente com a higienização por meio do álcool em gel, a ideia é que a tecnologia esteja em constante evolução, contando com a criatividade das crianças.

“A gente dá esse pontapé inicial e, daí, saem as outras ideias. As crianças têm um contato com o robô e ficam encantadas, pra eles é uma coisa de outro mundo”, diz o professor.

A psicopedagoga Danielle Veneo diz que a comunicação diferenciada com as crianças é importante para que elas se adaptem da melhor forma aos cuidados.

“A criança precisa ser levada principalmente ao lúdico. Contar uma historinha, colocar um bonequinho com a máscara, ensinar. Além do exemplo. É importante que a família, em conjunto com a escola, faça isso se tornar uma realidade para aquela criança e que não seja uma coisa imposta, para se tornar um processo divertido e não um processo obrigatório que vá criar qualquer tipo de problema psicológico como um trauma”, explicou Daniele.



Fonte: G1