Polícia prende suspeito de matar morador de rua atropelado em Petrópolis; caso era tratado como acidente | Região Serrana

0
12


Um homem foi preso nesta terça-feira (5) suspeito de cometer um homicídio em novembro do ano passado no distrito de Pedro do Rio, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio.

A vítima era um morador de rua identificado como Pedro Correa da Silva, de 60 anos.

Já havia um mandado de prisão preventiva contra o homem. Ele foi preso em Pedro do Rio, distrito onde ocorreu o crime.

Inicialmente, a polícia tratava o caso apenas como um acidente, mas as investigações apontaram que o atropelamento foi motivado por uma discussão entre o suspeito e a vítima.

Segundo a polícia, o suspeito não resistiu à prisão e foi levado para Benfica, na capital fluminense.

“Realizamos uma operação conjunta com a 105ª DP e capturamos o autor de um fato gravíssimo”, disse o delegado titular da 106ª DP, Nei José Ramos Loureiro.

Em novembro do ano passado, um morador de rua identificado como Pedro Correa da Silva, de 60 anos, morreu após ser atropelado na região do Alto Pegado, em Pedro do Rio.

Quando a Polícia Militar foi acionada e chegou até o local, por volta das 17h, o motorista do veículo tinha fugido e a vítima, que tinha uma lesão na cabeça, já havia morrido.

As investigações conduzidas pela 106ª DP apontam que na manhã data do crime (02/11/2020), o suspeito e a vítima tiveram um desentendimento dentro de um estabelecimento e que, aparentemente, havia sido resolvido.

Mais tarde, o suspeito teria chegado em casa e ficado sabendo que a vítima estava o procurando.

Segundo a Polícia, as investigações apontam que, em seguida, o homem pegou o carro e saiu à procura da vítima.

Ainda segundo a Policia, o suspeito teria ficado sabendo que a vítima estava a caminho do bairro de Secretário e, quando ele o avistou, acelerou o carro e o atropelou.

Policiais da 106ª DP chegaram a encontrar o carro abandonado e com uma capa de papelão para esconder a batida, a cerca de 10 quilômetros de distância do local do crime.

Na época, o motorista chegou a ser identificado e confessar o atropelamento. Foi quando as investigações começaram e a polícia pediu a prisão preventiva dele.

“A equipe de investigação agiu rápido, conseguimos descartar um suposto acidente de trânsito, e descobriu-se que a motivação desse crime bárbaro foi uma discussão banal ocorrida no dia anterior”, completou o delegado titular da 105º DP, João Valentim, que chegou a participar das investigações quando comandava a 106ª DP.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui