PETRÓPOLIS: mulher é presa acusada de envenenar dois companheiros e colega de trabalho

0
35
Mulher é presa acusada de envenenar dois companheiros e colega de trabalho
Mulher é presa acusada de envenenar dois companheiros e colega de trabalho

Policiais civis da 105ª DP (Petrópolis) prenderam, nesta quarta-feira (12), uma mulher acusada de envenenar dois companheiros e provocar a morte de um deles. Guilhermina Quintana Rodrigues também é suspeita de matar uma colega de trabalho após dopá-la para furtar dinheiro, cartões e cheques.

A acusada foi localizada no bairro Alto da Serra, em Petrópolis, na Região Serrana. Contra ela foi cumprido um mandado de prisão preventiva.

Um dos casos ocorreu no dia 18 de agosto de 2019, quando um ex-companheiro da acusada deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Centro de Petrópolis. Ele estava desacordado e em estado grave. Segundo as investigações, o médico que o atendeu relatou que a vítima tinha feito grande ingestão de um medicamento tranquilizante.

Em outro caso, Aicarde Pravitz, de 64 anos, morreu após ser internado em unidades de saúde de Petrópolis. A vítima se relacionou por cinco anos com a autora e teve uma filha. Após a morte suspeita de Aircarde, o laudo médico constatou que havia presença da quetiapina em suas vísceras, substância usada no tratamento de esquizofrenia e bipolaridade.

De acordo com a 105ª DP, em outro inquérito, a mulher foi indiciada por homicídio e teve a prisão preventiva pedida à Justiça sob acusação de matar Sônia Maria de Aguiar Gomes dos Santos, uma colega de trabalho, com excesso de tranquilizantes.

Segundo as investigações, ambas trabalhavam em um posto de saúde em Petrópolis. Em novembro de 2014, Sônia teve um mal súbito e perdeu a consciência após ter bebido um suco oferecido a ela pela acusada. A vítima foi encontrada desacordada no terminal rodoviário da cidade.

Durante diligências, os agentes cumpriram mandado de busca e apreensão na residência da suspeita e encontraram receituários falsificados e medicamentos compatíveis com as substâncias encontradas nas vísceras das vítimas.

Todas as nossas reportagens estão em constante atualização. Quem entender (pessoas físicas, jurídicas ou instituições) que tem o direito de resposta acerca de quaisquer de nossas publicações, por ter sido citado ou relacionado a qualquer tema, pode enviar e-mail a qualquer momento para [email protected]