Mais votado em Petrópolis não assume a prefeitura por ser ‘ficha suja’, mas está na Alerj | Rio de Janeiro

0
24


Em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, o candidato eleito não assumiu a prefeitura do município por ser “ficha suja”, mas, mesmo assim, agora é deputado estadual, como mostrou o RJ2 nesta sexta-feira (8).

Rubens Bomtempo, do PSB, já foi prefeito da cidade outras três vezes e, em 2020, se elegeu com 55% dos votos, no segundo turno.

Mas o político está impedido pela Justiça Eleitoral de assumir o cargo por ter uma condenação, transitada em julgado, por improbidade administrativa.

Os processos contra ele são por não recolher repasses para o instituto de previdência do município, por convênio irregular da Secretaria Municipal de Habitação e por publicar notícia de interesse pessoal na imprensa.

Além disso, Bomtempo também responde por convênio irregular de Petrópolis com um banco. Ainda assim, ele pode concorrer, mas a candidatura ainda seria analisada pela Justiça.

“Eu, durante o primeiro turno das eleições para prefeito de Petrópolis, concorri com o meu registro deferido pela Justiça Eleitoral, que modificou a decisão do segundo turno. Mas a própria Justiça Eleitoral, ela já reconheceu que não existe qualquer tipo de enriquecimento ilícito ou dano ao Erário”, afirmou Bomtempo.

Os novos prefeitos já foram empossados nas cidades, mas até agora Rubens Bomtempo perdeu os recursos em todas as instâncias, como mostrou a reportagem. Agora, o político espera o julgamento do colegiado do Tribunal Superior Eleitoral.

Enquanto isso, o presidente da Câmara de Vereadores de Petrópolis está exercendo o cargo de prefeito.

Hingo Hammes, do Democratas, foi eleito vereador pela primeira vez. Na última legislatura, ele tinha ficado na suplência, mas chegou a assumir o cargo na ausência de outros parlamentares.

O político foi eleito presidente da Câmara de Petrópolis e ainda está montando o gabinete provisório na prefeitura, onde despacha como prefeito em exercício.

“Nós, nessa primeira semana, estamos fazendo um trabalho de nomear secretariado, pegar informações sobre transição.. Porque não houve tempo para transição de um governo para o outro. E isso complica demais”, afirmou o prefeito em exercício.

De prefeito eleito a deputado estadual

E enquanto não se sabe se Bomtempo irá tomar posse ou não o cargo, o político assumiu outro mandato, o de deputado estadual.

Isso porque em 2018, antes de ser considerado “ficha suja”, Bomtempo concorreu a uma vaga na Assembleia Legislativa do RJ e foi eleito suplente.

Agora, ele ocupa a vaga no lugar de Renan Ferreirinha, do PSB, que está na Prefeitura do Rio como secretário municipal de Educação.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui