Grupo Dó Ré Mi homenageia Aldir Blanc com apresentação no Rio de Janeiro | Região Serrana

0
9


O grupo petropolitano Dó Ré Mi fez um show em homenagem ao compositor, escritor e cronista Aldir Blanc nesta terça-feira (9) em uma escola estadual no Rio de Janeiro.

O show Like 2.0 faz parte do “Projeto Recreio com Dó Ré Mi” e contou com a presença de cerca de 400 pessoas da comunidade escolar do Colégio Estadual Paulo de Frontin e familiares de Aldir Blanc. O espetáculo ocorreu em um ginásio, respeitando as normas sanitárias vigentes na cidade do Rio de Janeiro.

O projeto foi realizado com recursos do Edital Retomada Cultural da Lei Aldir Blanc e houve transmissão online no canal do YouTube do grupo nas apresentações da manhã e à tarde.

As filhas de Aldir Blanc, Mariana e Isabel acompanhada da filha, e a diretora geral Teresa Pimentel, receberam flores e presentes da secretária de Cultura e Economia Criativa do RJ, Daniele Barros, que ressaltou o legado do músico à arte brasileira, homenageado com seu nome na lei que socorreu o segmento artístico, no momento do isolamento social que deixou os artistas sem trabalho.

“É uma honra pra nós ver o nome do meu pai ser perpetuado como legado cultural com a Lei Aldir Blanc. Fico muito emocionada e toda a nossa família agradece, porque estes momentos nos fortalecem, nos acarinham e confortam”, disse a filha Isabel Blanc, professora do C.E. Paulo de Frontin.

Apresentação do Dó Ré Mi foi em ginásio de colégio estadual no Rio de Janeiro — Foto: Divulgação

Depois do show e da música O Bêbado e a Equilibrista interpretada no show pela solista Anna Clara Santos, a filha de Blanc, que foi um dos compositores da canção eternizada na voz de Elis Regina, se disse “hipnotizada com a animação” e que “cada um mostrou seu brilho individualmente, dentro desse grande espetáculo!”

“Para o Dó Ré Mi é mais que uma honra, é um marco participar desta homenagem ao Aldir, um dos gigantes da música brasileira. Fazer este projeto é estar com nosso público ao vivo e a apresentação já faz parte das comemorações dos 20 anos”, disse o maestro Leonardo Randolfo, diretor do grupo.

Show Like 2.0 do grupo Dó Ré Mi ocorreu nesta terça-feira — Foto: Divulgação

O show Like 2.0 é a mais nova montagem do Dó Ré Mi, com pegada teen e explosão de energia.

O diretor do C.E. Paulo de Frontin, Fabio Cruz, considerou as apresentações de “altíssimo nível, com jovens de escola pública como nossos alunos” e sugeriu que seja uma inspiração para eles. A coordenadora, Celia Zarot, disse ser “fundamental para o desenvolvimento dos alunos adolescentes o contato com a arte, até porque eles não têm tido esse acesso”.

Retomada de apresentações do grupo

O projeto foi realizado com recursos do Edital Retomada Cultural da Lei Aldir Blanc, por meio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do RJ.

Depois de um ano e meio longe dos palcos, em outubro o Dó Ré Mi integrou a agenda de apresentações comemorativas dos 90 Anos do Cristo Redentor, aos pés do monumento.

O grupo estreou seu show Like 2.0 a caminho das celebrações que irão acontecer até outubro de 2022, coroando com a festa dos 20 anos. O espetáculo conta mais de 20 canções, seis inéditas mescladas aos grandes sucessos de repertório do grupo, coreografias exclusivas, novo figurino e produção musical de Umberto Tavares.

Nascido no bairro carioca do Estácio e médico de formação, Aldir Blanc já compunha quando optou por largar o ofício. Além de livros e crônicas, deixou seu nome eternizado na música brasileira com uma vasta obra, sendo a mais conhecida composição, O Bêbado e a Equilibrista, sucesso na voz de Elis Regina. Parceria com João Bosco –a mais duradoura e uma das mais importantes da música brasileira –esta canção teve como inspiração a morte de Charlie Chaplin e o viaduto que aparece nos primeiros versos, faz referência ao Elevado Paulo de Frontin, no Rio de Janeiro. Composta na década de 1970, virou ainda o hino informal da Lei da Anistia em tempos de ditadura.

O grupo de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, completou 19 anos de existência em 2021 e recebeu a visita da cantora italiana Mafalda Minozzi, madrinha do grupo desde 2012.

O cantores também participaram, neste ano, das celebrações pelos 90 anos do Cristo Redentor, com uma apresentação na cidade do Rio de Janeiro.



Fonte: G1