Gato e cachorra são encontrados mutilados em Teresópolis, RJ; município apura denúncia e registrou caso na delegacia | Região Serrana

0
16


A Coordenadoria de Proteção e Bem-estar Animal (Copbea), da Secretaria de Meio Ambiente de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, registrou nesta semana, na 110ª DP, a denúncia da morte de um gato e uma cachorra domésticos que foram encontrados totalmente mutilados na cidade.

A suspeita é de maus tratos com extrema crueldade e a denúncia foi feita à Copbea, que além de apurar o que aconteceu, também acompanha a investigação na Polícia Civil. Segundo a Copbea, os crimes teriam sido cometidos pela mesma pessoa.

O corpo da cadela foi encontrado no início deste mês, na mesma área em que o corpo do gato foi descoberto, dias antes, no fim de junho. Ambos estavam mutilados. O local fica perto de uma trilha no bairro Jardim Serrano.

A cachorra foi identificada como Branquinha, que era cuidada por moradores do Agriões, em Teresópolis — Foto: Divulgação|Prefeitura

A cachorra foi identificada, pois era cuidada por moradores do bairro Agriões e estava desaparecida há mais de um mês. Ela atendia pelo nome de Branquinha.

Mensagens foram publicadas nas redes sociais sobre a violência contra o gato — Foto: Reprodução

O gato também foi identificado, e, uma publicação nas redes sociais denunciou o caso de crueldade.

“uma amiga achou hoje o gatinho que havia misteriosamente sumido próximo à trilha da cachoeira Jardim Serrano, sem os olhos sem as duas patas traseiras, com a barriga aberta sem nenhum órgão, e amarrado de arame! Cuidado! Há muita maldade!”, diz a publicação.

“Tudo indica que os crimes foram praticados pela mesma pessoa. Pedimos que os moradores fiquem atentos e denunciem caso percebam alguma situação suspeita na região. Maltratar animais é crime e há punição, ainda mais se praticado com requintes de crueldade”, disse o coordenador da Copbea, Jackson Muci.

Denúncias anônimas podem ser feitas na Delegacia, pelos telefones(21) 2642-9252 e (21) 98596-7436 (WhatsApp).

“Contamos com a colaboração da sociedade para identificarmos o suspeito dessa monstruosidade com os animais. Qualquer informação relevante do suspeito ou suspeita pode ser comunicada e o sigilo é garantido”, disse a delegada Carolina Marins.

As denúncias também podem ser feitas pelo telefone (21) 2742-8761, da Ouvidoria Geral da Prefeitura, ou pelo aplicativo para celular ‘e-Ouve’. Todas serão encaminhadas à Coordenadoria de Proteção e Bem-estar Animal.



Fonte: G1