Furtos de peças de bronze em túmulos de cemitério no RJ geram revolta: ‘descaso total’, diz familiar | Região Serrana

0
12


Basta caminhar por uma das quadras do cemitério do centro de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, para perceber que é incontável a quantidade de placas e outros materiais de bronze furtados dos túmulos.

Um desses túmulos é onde está um parente de Antônio Aurélio Rodrigues. O aposentado registrou a situação em vídeo. (veja o vídeo acima)

“Logo na entrada do cemitério, pela Praça Oswaldo Cruz, a gente já vê o descaso. As campas tudo vazias. Um descaso total. Eles tiram os bronzes e fica só os buraquinhos na lápide”, afirma Antônio durante a filmagem.

Criminosos furtam peças de bronze e cobre de túmulos no cemitério municipal de Petrópolis, no RJ — Foto: Antônio Aurélio Rodrigues

Embora sejam muitos os casos, na delegacia do Retiro, a 105ª DP, só há um registro de furto, e as investigações estão em andamento.

Antônio Aurélio, por exemplo, ainda não registrou o caso, mas afirma que já vem observando o sumiço de peças há algum tempo.

“Isso já vem acontecendo há muito tempo. A gente vai reclamar no cemitério e eles dizem que não tem policiamento, que não tem dinheiro para colocar câmeras, e fica nisso”, contou Antônio Aurélio, acrescentando que: “Eu estava filmando e fotografando e, chegaram alguns funcionários em volta, em tom de ameaça”.

A situação vista por ele, também foi registrada pela profissional de marketing Andréa Kreischer, que esteve no cemitério em maio, para o enterro de uma tia, quando percebeu que mais placas tinham sido furtadas no túmulo da família.

Neste túmulo, até a peça de Jesus Cristo crucificado foi furtada — Foto: Antônio Aurélio Rodrigues

“Fica na entrada do cemitério municipal. É a sexta campa a direita. Lá estão meus bisavós, avós, tios-avôs, tios, primo e minhas duas filhas. Em 2017, quando Natajsha (uma das filhas) faleceu, mandei fazer a plaquinha dela junto com a da Helena (outra filha), nos mesmos moldes das que já haviam na campa, em bronze. Temos um zelador que cuida da limpeza da campa e dos adornos. Porém, no dia de finados do ano passado, começamos a ver sinais de violação na campa”, contou.

Andréa afirma que também questionou a administração do cemitério, mas o caso, segundo ela, foi tratado com normalidade.

“Furtaram um Cristo de uns 40 centímetros. As campas estão todas violadas. Perguntei na administração o que estava havendo e a atendente falou, em tom de normalidade, que estavam furtando quase todos os adereços de cobre, inclusive de túmulos de personalidades da cidade” contou Andréa.

“Isso é muito grave. Pagamos caro para adquirir e manter essas campas”.

Imagens mostram o antes e depois de campa furtada em cemitério de Petrópolis, RJ, que pertence a família de Andréa Kreischer — Foto: Andréa Kreischer

Entre os diversos túmulos com peças furtadas, também estão o do poeta petropolitano Raul de Leoni e o do jornalista Flávio Cavalcanti.

Em nota, a Secretaria de Segurança, Serviços e Ordem Pública de Petrópolis informou que tomou conhecimento dos fatos e reforçou, imediatamente, as rondas da Guarda Municipal no local. Disse ainda que, solicitou reforço do policiamento no entorno, e que o município está em processo final de licitação para compra de câmeras de monitoramento, que serão instaladas no local a fim reforçar o controle no espaço. O município não deu uma previsão de quando as câmeras serão instaladas.

Esta não é a primeira vez que peças são furtadas de túmulos em Petrópolis. Em 2019, dois homens foram presos suspeitos de roubarem objetos do cemitério.

Na época, eles foram encontrados com 88 molduras de metal e 15 lápides de túmulos. Segundo a polícia, um dos suspeitos revelou que o material seria vendido em um ferro velho da Baixada Fluminense.

Situação de cemitério é pauta na Câmara

Túmulos ficam totalmente sem identificação após furto de lápides e outras peças de bronze — Foto: Antônio Aurélio Rodrigues

A situação do Cemitério Municipal, e de outras unidades da cidade, têm sido pauta na Câmara de Vereadores nos últimos meses.

No dia 25 de maio o Legislativo aprovou a indicação, de autoria do vereador Marcelo Lessa (Solidariedade), que requer a instalação de um sistema de segurança nos pontos centrais do Cemitério Municipal.

“Os furtos são recorrentes, no entanto, se intensificaram nos últimos meses” disse o vereador, acrescentando que, recentemente, até o espaço utilizado pelos funcionários para a guarda de objetos pessoais foi violado. “Furtaram utensílios domésticos, cafeteira, micro-ondas”, segundo ele.

No dia 18 de maio outra indicação, de autoria do vereador Octávio Sampaio (PSL), solicitando o reforço na segurança dos cemitérios, com a inclusão de ronda ou fiscalização fixa da Guarda Civil Municipal, foi aprovada pela Câmara.

Em março, o Legislativo também aprovou o projeto de lei do Executivo, que permite a concessão dos cemitérios, medida que, segundo a Prefeitura, vai assegurar melhorias que são necessárias nestes espaços.



Fonte: G1