Festival de música ‘Solstício do Som’ comemora dez anos com shows ao vivo pela internet | Região Serrana

0
30


Começa nesta segunda-feira (21), o ‘Solstício do Som’, Festival de Música de Petrópolis, na Região Serrana do Rio. Esta é a 21ª edição do evento, que comemora dez anos, e terá cerca de 10 horas de apresentações musicais com shows transmitidos ao vivo pelo canal oficial do festival.

O festival terá início às 14h com apresentação da confraria da poesia informal. Todas as apresentações vão ocorrer pela internet e vão reunir músicos de Petrópolis, Búzios, Rio de Janeiro e São Paulo. O evento também conta com participação internacional, o músico Andinho Agassis se apresenta direto de Portugal.

“Há 10 anos começava uma história que marcaria para sempre a vida de todos os petropolitanos que têm dentro de si a intensa vontade de se expressar através da música e das artes em geral. Chegamos à 21ª edição proporcionando espaço às composições originais e cumprindo nossa missão semestral”, diz João Felipe Verleun, idealizador do Solstício do Som.

Confira a programação completa desta 21ª edição:

  • 14h – Confraria da Poesia Informal – Coordenação: Catarina Maul – (Petrópolis)
  • 15h – Andynho Agassis (Lisboa, Portugal)
  • 15h30 – Guido Martini (Búzios, Rio de Janeiro)
  • 16h – Bel Spalla (Barra da Tijuca, Rio de Janeiro)
  • 17h – Trio Frito (Barra da Tijuca, Rio de Janeiro)
  • 17h30 – Almir Chiaratti (Jardim Guanabara, Rio de Janeiro)
  • 18h – Lu de Oliveira (Mosela, Petrópolis)
  • 18h30 – Gabriel Lobo (Duchas, Petrópolis)
  • 19h – Walter Delanno (Quitandinha, Petrópolis)
  • 19h30 – Diogo Lemak (Vila Isabel, Rio de Janeiro)
  • 20h – André Mendes (Centro, Petrópolis)
  • 20h30 – Concreto Humano (Sargento Boening, Petrópolis)
  • 21h – Poeta Emily Santos (Bingen, Petrópolis)
  • 21h30 – Letto (Lapa, Rio de Janeiro)
  • 22h – Bruno Lima (Indaiatuba, São Paulo)
  • 22h30 – Razamanaz – (Bairro Mauá, Petrópolis)
  • 23h – Reunião de 10 Anos (Zoom)

João Felipe afirma sentir orgulho quando olha pra trás e vê tudo que o evento conquistou ao longo da década. “Esperamos que Petrópolis, no futuro, saiba tratar melhor sua produção cultural. Uma fonte inesgotável e pronta para ser incentivada e ganhar o mundo”, destaca.

No fim das apresentações desta segunda haverá ainda uma reunião aberta para falar sobre a data comemorativa do festival, que começou em 2010 com o propósito de ocupar espaços públicos com produção cultural. O bate-papo será por um aplicativo de reuniões online e qualquer pessoa poderá participar.

Esta edição do festival está ocorrendo de forma voluntária e gratuita, mas quem quiser poderá contribuir com quantias que serão doadas para os músicos e a produção do festival.



Fonte: G1