Criança de 6 anos morre atropelada por moto em Nova Friburgo, no RJ; acidente foi registrado por câmera de segurança | Região Serrana

0
169


Uma criança de seis anos morreu após ser atropelada por uma moto em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. O acidente aconteceu por volta das 20h da última sexta-feira (9), na rua Eugênia de Almeida Maia, em Conselheiro Paulino, próximo à casa da vítima. Uma câmera de segurança próxima ao local registrou o momento em que Eduarda da Silva Fonseca foi atingida pela moto. (veja no vídeo acima)

Eduarda da Silva Fonseca, de 6 anos, chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos — Foto: Arquivo pessoal

Nas imagens, é possível ver a menina andando pela calçada com uma boneca no colo e a irmã mais velha dela, Vitória, de 12 anos, caminhando alguns passos atrás. Eduarda então vira para atravessar, aguarda os carros passarem e corre em direção a calçada do outro lado da rua. Ainda no vídeo, ela aparece prestes a chegar à calçada quando é atingida por uma moto, que seguia na direção contraria.

O motociclista parou para prestar socorro e o Corpo de Bombeiros foi acionado. Eduarda chegou a ser levada para o Hospital Municipal Raul Sertã, mas teve traumatismo craniano e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a mãe da vítima, Edimila Muniz da Silva, as irmãs voltavam da casa de uma amiguinha na vizinhança quando o acidente aconteceu.

“Essa rua é de paralelo, cheia de desníveis e não tem nenhum quebra-molas. Elas estavam acostumadas a ir até a casa da amiguinha aqui perto, mas sempre tive medo e pedia pra que prestassem bastante atenção na hora de atravessar. O motoboy me disse que não estava correndo, mas a gente sabe que eles correm para fazer entrega. Minha filha parou pra ver se vinha carro e só atravessou depois de todos os carros passarem. Ele a atingiu já no cantinho da calçada”, contou Edimila.

Segundo a Prefeitura de Nova Friburgo, a velocidade máxima permitida para trafegar na via, que é de mão-dupla, é de 40km/h. Não há quebra-molas no trecho.

“Eu sou nascida e criada aqui, meu pai é nascido e criado aqui. A rua é residencial, conhecemos todo mundo. De repente construíram o Terra Nova (conjunto habitacional) lá no final, construíram um supermercado. Então, começou a ter muito movimento aqui, mas não colocaram um quebra-molas”, Edimila.

O G1 entrou em contato com a Polícia Civil para saber se o caso foi registrado e se o motociclista vai responder por algum crime e aguarda um posicionamento.

A escola onde Eduarda estudava lamentou a morte da pequena e publicou uma homenagem para ela nas redes sociais.

“Aquela garotinha feliz, que distribuía sorrisos por todos os cantos da escola, foi morar no céu! Choramos aqui, mas o céu está em festa, porque a anjinha mais alegre e sorridente acabou de chegar: nossa Eduarda. Pedimos a Deus que conforte e dê forças a toda a sua família”, diz trecho da homenagem.

“Eu só peço que eles coloquem um quebra-molas aqui. Eu tenho mais uma filha, tenho meu pai idoso, tenho meus tios idosos. Não quero que aconteça mais acidente com ninguém, com nenhuma criança, com nenhum dos meus vizinhos. É só o que eu quero”, desabafou Edimila.

Em nota, a secretaria municipal de Ordem e Mobilidade Urbana lamentou o acidente e informou que já havia recebido a demanda da localidade há alguns dias e já estava com uma visita técnica ao local agendada para a próxima terça-feira (13), às 8h, para “estudos que tragam as devidas melhorias consideráveis para evitar novas tragédias”.

A visita técnica, segundo o município, está mantida para esta terça-feira.



Fonte: G1