Consulta pública discute criação de unidade de conservação na Serra da Maria Comprida, em Petrópolis, no RJ | Região Serrana

0
29


O Instituto Estadual do Ambienta (Inea) e a Frente Parlamentar Ambientalista da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizam na tarde desta quinta-feira (15), uma consulta pública sobre a criação de uma nova unidade de conservação do Estado do Rio, o Monumento Natural Estadual (Mona), da Serra da Maria Comprida, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio.

Inea faz consulta pública sobre monumento natural em Petrópolis
Inea faz consulta pública sobre monumento natural em Petrópolis

Inea faz consulta pública sobre monumento natural em Petrópolis

A proposta de criação do Mona abrange cerca de 9 mil hectares, que envolvem os distritos de Cascatinha, Itaipava e Pedro do Rio, na Cidade Imperial.

Na região existem, pelo menos, 22 montanhas. A mais alta é a Pedra da Maria Comprida, com 1.926 metros de altitude.

A ideia partiu de montanhistas, que procuraram a Alerj e o Inea, para dar sequência no processo de criação da unidade de conservação, que, caso seja criada, será de responsabilidade do Instituto Estadual do Ambiente.

Para o projeto de criação, o Inea realizou estudos sobre toda a biodiversidade encontrada na região e foram identificadas aproximadamente 640 espécies de plantas, sendo 239 espécies endêmicas (que só existem no Rio de Janeiro), e, destas, 193 apresentam algum grau de ameaça, segundo o instituto.

Rabo de galo ou flor da imperatriz é uma espécie rara e ameaçada de extinção — Foto: Hugo de Castro

Duas espécies raras são a flor da imperatriz, ou rabo de galo, e uma micro bromélia de oito centímetros, encontradas nos mais altos cumes das montanhas da Serra.

Microbromélia de oito centímetros pode ser encontrada na Serra da Maria Comprida — Foto: Orlando Graeff

Há ainda pelo menos 10 espécies de mamíferos e 16 aves de espécies que só são encontradas na Mata Atlântica e também estão ameaçadas de extinção.

As propostas apresentadas na consulta desta quinta serão analisadas e poderão virar emendas ao Projeto de Lei que tramita na Alerj.

A previsão é de que o projeto seja votado em setembro.

Detalhes sobre o projeto e o estudos já feitos estão disponíveis neste site, e a consulta pública continuará na internet. Os interessados em opinar e contribuir podem acessar este formulário do Inea.



Fonte: G1