Confira momentos do desfile das escolas do Grupo Especial na Av. Alberto Braune, em Nova Friburgo | CARNAVAL NOVA FRIBURGO 2022

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A reportagem da Inter TV acompanhou o desfile das escolas de samba do Grupo Especial no último sábado (14), na Avenida Alberto Braune, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio.

A apuração do desfile começou às 16h desta segunda-feira (16). Este ano, houve mudança no local de apuração. Em vez de ser na Avenida Alberto Braune, como anunciado, foi transferida pela Liga Independente das Escolas de Samba e Blocos de Enredo de Nova Friburgo (Liesbenf ) para um lugar fechado. O comunicado saiu no fim da tarde deste domingo (15).

Escolas de samba do Grupo Especial de Nova Friburgo — Foto: Larissa Vilarinho / Inter Tv

“Por medidas de segurança a apuração será realizada em local fechado somente com a participação de representantes das agremiações e transmitidas pelas mídias locais”, diz trecho da nota publicada nas redes sociais da liga.

No sábado, a festa de carnaval teve cobertura ao vivo, em Tempo Real, pelo g1 até a madrugada de domingo. Confira aqui.

A primeira escola a entrar na avenida foi a Unidos da Saudade. A roxo e branco levou o enredo “Metalurgia, a chave do progresso”. O RJ1 mostrou a emoção nos bastidores da escola, ainda na concentração.

Um misto de ansiedade, nervosismo e muita alegria tomou conta dos integrantes da agremiação.

A escola desfilou com fantasias e adereços nas cores do fogo, laranja, amarelo e preto, lembrando o começo da produção do metal.

A Unidos da Saudade apresentou um desfile bastante técnico, com 1.200 componentes, distribuídos em 26 alas e seis carros alegóricos.

A Alunos do Samba foi a segunda a entrar . No esquenta, o samba já dava o recado. A azul e branco de Conselheiro Paulino foi para a apara um desfile de superação.

O enredo trouxe o “Hakuna Matata”, que quer dizer numa língua africana, que não existem problemas, que os seus problemas você deve resolver.

O primeiro carro da escola foi totalmente reformado depois de ter sido destruído em um incêndio no barracão, em outubro de 2021.

Mas depois de tantos problemas no ano passado, a Alunão mostrou na avenida que não existem problemas e sim, soluções para fazer um carnaval bem bonito.

A terceira escola a passar pela Avenida Alberto Braune foi a Imperatriz de Olaria, que agitou o público.

O tema da vermelho e branco foi os povos originários, os indígenas. A comissão de frente já entrou passando o recado.

Vários bailarinos fantasiados de índios mostraram a bravura do índio guerreiro.

Mesmo com alguns problemas durante a noite com a alegoria, a Imperatriz levantou o público na Alberto Braune.

E o que o sertanejo e o carnaval tem em comum? Na Vilage no Samba, a última a entrar na avenida, a mistura deu samba. A escola fez uma homenagem à música sertaneja e debaixo de chuva fina, trouxe a imagem de Nossa Senhora para abençoar o desfile.

Muito luxo, alegorias gigantes e caprichadas. A verde e branco fez um desfile com 18 alas e 900 componentes.

A escola teve problemas em um dos carros, que demorou a entrar na avenida, o que fez com que em alguns momentos ela ficasse parada na Alberto Braune, situação que pode tirar pontos no quesito evolução.



Fonte: G1