Condutores e cães da Argentina chegam a Petrópolis, RJ, para ajudar na busca por desaparecidos | Região Serrana

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


As incansáveis buscas por desaparecidos em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, ganharam reforço de uma equipe vinda da Argentina. Um grupo formado por 5 condutores e 5 cães já está na cidade para contribuir na procura pelos desaparecidos.

A Asociación Civil Escuela Canina de Catastrofe, nasceu em 1995, após o trágico ataque à sede mútua da AMIA em Buenos Aires. O bombardeio da AMIA foi um ataque ao prédio da Associação Mutual Israelita Argentina, que deixou 85 mortos e dezenas de feridos.

O condutor e presidente da associação Juan Carlos Lombardi ao lado do cão Lupo trabalharam logo no início da tragédia argentina. Juan está em Petrópolis e conversou com o g1.

“Estamos dando nossa colaboração para encontrar o maior número possível de pessoas desaparecidas para que seja menos doloroso para as famílias. Realmente esperamos um bom resultado em menos tempo possível”, disse Juan Carlos

Equipes vindas da Argentina ajudam nas buscas por desaparecidos em Petrópolis — Foto: Arquivo pessoal

As ações com cães em Petrópolis acontecem desde as primeiras horas de buscas por pessoas. No dia 19, o Corpo de Bombeiros do RJ confirmou a chegada de 79 militares e 36 cães farejadores de corporações de 14 estados para ajudar no trabalho de buscas.

Mas Petrópolis também conta os animais locais. Além de 3 cães treinados e cedidos para as buscas, a Guarda Civil local conta com um verdadeiro valente: o Turbo. Um Pastor Belga de apenas 3 anos que vinha sendo treinado para agir em desastres.

Equipes argentinas já chegaram a Petrópolis, no RJ — Foto: Arquivo pessoal

E a hora do Turbo chegou. Segundo Leandro Lopes, responsável técnico e operacional do Grupamento de Operações com Cães da Guarda Civil Municipal de Petrópolis, o desempenho do cão foi acima do esperado.

“O Turbo foi um verdadeiro guerreiro, ajudou nas operações e indicou muitos locais onde foram encontrados corpos. Toda equipe da guarda está há 8 dias trabalhando ininterruptamente. Alguns colegas estão saindo das férias por conta própria para ajudar”, comentou Leandro.

O cão Turbo agora vai descansar por dois dias. E está recebendo superalimentação.

A Guarda-Civil ainda não tem um número de indicações de corpos feitas por cães. Segundo Leandro, o ação é rápida. O animal indica o local onde pode ter um corpo e logo os homens se direcionam para a área indicada .

As primeiras buscas com o reforço argentino começaram nesta quarta-feira (23) no bairro Chácara Flora. Os cães do país vizinho serão abrigado no 32º batalhão de infantaria de Petrópolis, na Vila Militar.



Fonte: G1