Cachorro morre após ser abandonado dentro de sacola plástica em Nova Friburgo; VÍDEO | Região Serrana

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Um cachorro morreu após ser abandonado dentro de uma sacola plástica amarrada em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio.

O caso aconteceu no último sábado (02), às margens da RJ- 142, no bairro Stucky.

O animal foi encontrado, por volta das oito da manhã, pelo dono de uma casa de ração, que fica próxima ao local. O cão, de pequeno porte, ainda estava vivo quando foi achado por Yang Ouverney, de 29 anos. O comerciante postou um vídeo nas redes sociais.

“Olha só o que ser humano é capaz de fazer, olha que covardia. É o fim dos tempos! É uma covardia fazer isso com bicho. Dentro do mato num saco fechado. Você tem que ser preso!” desabafou Yang durante o resgate. O animal chega a tentar latir.

Yang contou ao g1 que um vizinho tinha passado mais cedo pelo local e ouviu o choro do cachorro, mas não o encontrou. Ele disse que então procurou por cerca de meia hora, quando achou o animal dentro de saco embaixo de uma moita de capim.

“Eu não acreditei, a ficha não caiu. Ele é um cachorro que ficava solto por ali. Ele não tinha dono, mas não era um cachorro problemático. Aqui não tem gente capaz de fazer isso, pode ter sido alguém de fora do bairro.” explicou Yang.

Vídeo mostra cão abandonado dentro de sacola plástica em Nova Friburgo

Ele disse que levou o cachorro para casa, deu remédios, mas cerca de duas horas depois do resgate o animal acabou morrendo. “Acho que ele ficou muito tempo dentro do saco, sem oxigênio e isso pode ter contribuído para ele não resistir”, lamentou.

Ainda segundo o comerciante, o cachorro tinha pelo menos cinco perfurações pequenas espalhadas pelo corpo.

No mesmo dia em que o cão foi resgatado, no fim da manhã, Yang viu um homem nu andando às margens da rodovia. Ele chegou abordá-lo, e pediu para que se vestisse.

“Eu falei que para ele parar com a pouca vergonha, que tem minha família, tenho duas meninas pequenas, é um absurdo”, disse o comerciante. Depois disso, Yang conta que nunca mais o viu e que o homem não seria morador do bairro, e que nunca havia o visto por ali antes.

A subsecretária do Bem-Estar Animal (Ssubea), Elisangela Rodrigues, informou que a pasta não foi acionada sobre o caso mas ressalta que esse tipo de ação é caracterizada como crime, passível de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e proibição de o agressor ser tutor de animais.

Em caso de morte do animal, a pena pode ser agravada três vezes. A Ssubea informou ainda que as denúncias de maus tratos podem ser feitas presencialmente no Protocolo da Prefeitura ou na sede da Ssubea, ou através do e-mail [email protected], ou também através do Whatsapp da Ouvidoria, 22 25259244.

Para que a denúncia possa ser averiguada, o endereço deve estar correto, ter um ponto de referência e, se possível, uma foto do local, além do telefone ou whatsapp do denunciante. A identidade do autor da denúncia permanecerá em sigilo.

A Polícia Civil informou que vai investigar o caso e buscar imagens de câmera de segurança que possam ajudar a identificar quem cometeu o crime.

Fonte: Portal G1