Aluguel social: Petrópolis, RJ, tem repescagem para quem perdeu a data do cadastro | Região Serrana

Começou nesta quarta-feira (08) em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, o mutirão de repescagem para a revalidação do cadastro para os moradores vítimas das últimas chuvas, que têm direito ao aluguel social.

O mutirão “Todos por Petrópolis” é uma parceria entre o Governo do Rio e a Prefeitura de Petrópolis, e vai até o dia 15 de junho. O atendimento é realizado na sede da Prefeitura, na Avenida Koeler, 260, no Centro da Cidade. Segundo o município, cerca de 2.600 atendimentos foram realizados até esta segunda-feira (7).

A distribuição das senhas ocorre das 9h às14h. Serão distribuídas 130 senhas por dia.

O objetivo do mutirão é qualificar os cadastros do município e do estado, resolver pendências e garantir o aluguel social para quem de fato precisa do benefício.

“Os desastres das chuvas deste ano foram sem precedentes. A resposta a esses desastres vem sendo um grande desafio para toda a cidade. É uma demanda muito alta por aluguel social, em uma operação inédita de pagamento do benefício, por envolver dois entes: o estado e o município. Mas, apesar de todos os desafios, Prefeitura e estado vêm conseguindo atender as pessoas no mutirão, com qualidade, com atenção, e todo esse processo vem sendo muito bem sucedido”, disse o secretário de Assistência Social, Fernando Araújo.

Quem deve ir e o que levar?

  • Quem já alugou um imóvel
  • Quem ainda está desalojado
  • Quem já foi cadastrado pelo Estado e/ou pelo município
  • Quem está aguardando para apresentar o contrato

Documentação para revalidação do cadastro do Aluguel Social:

1. Documento de Identificação de todos os membros da família (RG, CPF, Certidão de Nascimento ou Casamento)

2. Comprovantes de Rendimentos de todo núcleo familiar:

  • Carteira de trabalho (nº, dados pessoais, emprego e página de emprego em branco, se for o caso, comprovando o rendimento ou desemprego e último contracheque) (caso haja)
  • Caso o emprego seja informal, deverá ser fornecida carta de próprio punho da fonte pagadora;

3. Laudo da Defesa Civil comprovando a perda das condições de habitabilidade do imóvel onde era domiciliada a família afetada

4. No caso de LOCATÁRIOS: Contrato de Locação vigente com firma reconhecida e/ou comprovante de residência atualizado (a partir de março de 2022) em nome do beneficiário ou de terceiro desde que faça parte do núcleo familiar e que resida no imóvel

5. Comprovante de Residência do imóvel atingido em nome da pessoa que representará a família para fins de recebimento do aluguel social, devendo ser priorizado o responsável familiar devidamente inscrito no Cadastro Único

6. Número de Identificação Social (NIS) e Relatório do Cadastro Único demonstrando o núcleo familiar (o beneficiário que ainda não possuir o NIS e não for inscrito no Cadastro Único terá um prazo máximo de 90 dias para providenciá-los)

7. Comprovante de Conta Bancária da Caixa Econômica Federal (CEF)

8. Declaração assinada pelo beneficiário de que a família afetada não possui outra residência em condições de habitabilidade (emitida pelo município)

9. Declaração de propriedade de imóvel assinada (emitida pelo Estado), devendo ser apresentado pelo beneficiário para fins de comprovação de propriedade (caso possua):

  • Registro Geral de Imóveis
  • Escritura Pública de Imóvel
  • Declaração de Posse
  • Promessa de compra e venda ou
  • Quaisquer outros títulos hábeis

Fonte: G1