São Gonçalo oferece acolhimento a pessoas em vulnerabilidade social

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

A Prefeitura de São Gonçalo, em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, deu início nesta quarta-feira (18) à primeira ação de acolhimento a pessoas em situação de rua. Os serviços assistenciais foram oferecidos pelas secretarias da Assistência Social e Álcool e Drogas, em conjunto com uma equipe do programa RJ Para Todos. A Secretaria de Ordem Pública, através da Operação São Gonçalo Presente, deu apoio durante o processo de abordagem.

O primeiro ponto visitado pelas equipes foi a Praça Sargento Siber Mendonça, na Venda da Cruz, seguindo para Neves, ao lado do Detran, e finalizando a ação na Rua Aloísio Neiva, próximo à comunidade Menino de Deus, no Centro. Os serviços de abordagem, abrigamento, atendimento social e limpeza dos locais estão sendo oferecidos através de uma integração entre as secretarias. A Secretaria de Conservação realizou a limpeza dos espaços públicos. 

Por meio dessa parceria, serão feitas ações para acolhimento de pessoas em vulnerabilidade social, em diferentes pontos do município, três vezes por semana. A medida tem como objetivo oferecer apoio às pessoas em situação de rua e garantir mais tranquilidade à população gonçalense. 

O subsecretário de Proteção Social Especial da Secretaria de Assistência Social, Jair Mello, acompanhou a ação e garantiu que o trabalho é disponibilizar à população em situação de rua os serviços oferecidos pelo poder público.

“A ação está sendo integrada, junto ao programa RJ Para Todos, do Governo do Estado. Através desse trabalho, iremos sensibilizar os usuários que querem ser abrigados. Em São Gonçalo, temos o centro de acolhimento social, que fica em Vista Alegre, que atende aos homens; para as mulheres, ofertamos a Associação Santa Rita de Cássia. Mas para isso, necessitamos da predisposição dessas pessoas que vivem em situação de rua. Somente através disso, iremos conseguir o inicio de uma transformação social na vida delas. Iremos em diversos pontos do município que também precisam de apoio. É de grande importância essa parceria, porque podemos dar essa resposta para nossa população”, afirmou o subsecretário. 

A subsecretária de Políticas sobre Álcool e Drogas, Mariana Lima, afirma que a pasta trabalha de forma integrada com a Assistência Social, oferecendo tratamento e acolhimento em comunidades terapêuticas para a população em situação de rua.

“Entendemos que grande parte da população em situação de rua também é usuária de álcool e outras drogas. Então sabemos da importância dessa parceria com a Assistência Social. A secretaria oferece os serviços socioassistenciais, em relação a documentação e benefícios; já a Secretaria de Álcool e Drogas vem para ofertar o tratamento, tanto na rede pública quanto para aqueles que desejam o acolhimento nas comunidades terapêuticas”, disse a subsecretária. 

A superintendente do Programa RJ Para Todos, Gilvana Coutinho, disse que essa integração beneficia ambas as partes, oferecendo à população uma vida diferenciada. 

“O trabalho integrado acaba ajudando ambas as partes. É um trabalho que auxilia o Governo como um todo, independente de ser município ou Estado. Essa união vai fazer a diferença na vida da população. A gente precisa se fazer presente para essas pessoas em situação de rua, oferecendo acolhimento, escuta ativa, e para isso, é necessário olhar nos olhos dessas pessoas que são vistas como invisíveis. Nós viemos aqui para oferecer ações de acolhimento. Muitas pessoas que estão nas ruas acabam perdendo a certidão de nascimento, identidade, então nós iremos viabilizar o acesso a isso para que as pessoas se reconheçam enquanto cidadão”, contou a superintendente.  

O Programa RJ Para Todos foi lançado em novembro de 2021 e oferece serviços sociais através de equipes altamente profissionais. A iniciativa permite oferecer assistência à população mais vulnerável e em situação de rua, promovendo acesso aos direitos como documentação básica, reinserção familiar, inclusão ao mercado de trabalho e acolhimento social. além de oferecer cursos de capacitação teórica e prática aos profissionais envolvidos no programa.

Fonte: O São Gonçalo