‘Rio vai voltar a ser laboratório de inovação e de oportunidades’, diz Eduardo Paes na posse de secretários

0
32


Depois de tomar posse na Câmara de Vereadores do Rio, onde citou uma “herança perversa” na prefeitura e discursou em tom conciliatório, o prefeito Eduardo Paes empossou os 24 secretários de sua gestão, nove a mais que a de seu antecessor, Marcelo Crivella. ‘Rio vai voltar a ser laboratório de inovação e oportunidade’, disse em seu discurso. Paes pediu também um minuto de silêncio pelas vítimas da Covid e anunciou as prioridades. “2001 será o ano da virada”, garantiu. “Vamos renascer das cinzas”, citou frase de novo samba, dessa vez de Martinho da Vila.

Os escolhidos de Paes mesclam diferentes estilos entre escolhas técnicas, indicações políticas de partidos aliados e nomeações de confiança, como o deputado federal Pedro Paulo (DEM), braço direito escolhido para comandar a secretaria de Fazenda. Além dos secretários, serão empossados nove presidentes de autarquias municipais e oito subprefeitos.

VEJA TAMBÉM:

De reforma tributária a suspensão de concursos públicos: veja medidas de Paes para tentar reverter crise fiscal do Rio

Eduardo Paes cita três sambas em discursos para abordar a realidade do Rio

Secretário da Fazenda de Paes estuda criar previdência complementar para servidores com maiores salários

Após os secretários assinarem seus termos de posse, o prefeito Eduardo Paes pediu que os presentes, de pé, fizessem um minuto de silêncio pelas mortes em decorrência da Covid-19 no Rio e no Brasil. Em seguida, saudou os representantes de diferentes religiões que estavam presentes, e deram início à cerimônia com discursos em que, entre outros desejos, destacavam o respeito à diversidade.

Paes fez um discurso com fortes críticas à gestão de Marcelo Crivella. Paes começou seu discurso falando sobre a Covid-19, responsabilizando a gestão passada pela alta taxa de mortalidade na cidade:

— A incompetência e falhas graves da gestão pública municipal agravaram muito esse quadro e nos trouxe a esse ponto.

Apesar das críticas a praticamente todas as áreas da gestão Crivella, Paes afirmou que não usará os problemas do governo anterior para justificar problemas em seu mandato:

— Não seremos um governo que vai ficar se lamuriando com herança maldita. Não vamos ficar culpando o meu antecessor com os problemas que a cidade vai viver no nosso mandato.

Assim como na posse na Câmara, em que recitou versos de um samba, Paes voltou a usar trechos de músicas em seu discurso, como “Moleque atrevido”, de Jorge Aragão, e “Renascer das cinzas”, de Martinho da Vila..

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, cumprimenta os presentes após cerimônia de posse de seu secretariado
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, cumprimenta os presentes após cerimônia de posse de seu secretariado Foto: Luiz Ernesto Magalhães / Agência O Globo

Uma das presenças mais aplaudidas ao ser anunciada foi a do deputado federal Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, que foi chamado de “Senhor estabilidade” por Paes em seu discurso, quando falou sobre a importância do diálogo:

— O recado das urnas é também o da confiança no diálogo e na democracia para nos guiar em tempos tão difíceis, missão, aliás, que o deputado Rodrigo maia, junto com o deputado Calero e o deputado Pedro Paulo, tem conduzido de maneira brilhante em Brasilia. Senhor estabilidade, o deputado Rodrigo Maia — disse Paes.

Tom da gestão: Eduardo Paes fala em ‘herança perversa’, mas faz discurso de conciliação na posse e cita samba: ‘Deixa de lado esse baixo astral’

O prefeito do Rio voltou a citar Maia ao falar do impacto do fim do auxílio emergencial. Paes chegou a destacar que o auxilio foi criado pela Câmara dos Deputados:

— No dia de hoje mais de 2 milhões de cariocas deixaram, saíram do auxilio emergencial criado pela Câmara dos Deputados, e que tanto impacto positivo gerou inclusive nos índices de redução de pobreza em todo o Brasil e em nossa cidade.

A cerimônia aconteceu no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura. Apesar de Paes ter afirmado, em publicação no Twitter, que apenas os empossados estariam presentes, cada um pôde levar dois convidados, e três salões foram reservados para acomodar os presentes. A maior parte do público assistirá à posse por telões instalados nas salas anexas à da cerimônia, que contará ainda com apresentação da Banda Sinfônica da Guarda Municipal do Rio, nos jardins do Palácio. O evento é o último compromisso público de Paes num primeiro dia de agenda intensa, que começou ainda na madrugada quando o prefeito acompanhou a movimentação do réveillon na cidade direto do Centro de Operações da Prefeitura do Rio.

A nova gestão começou com a publicação, no Diário Oficial do município, de 74 decretos que tratam de todas as áreas da prefeitura. O prefeito estabeleceu 25 pontos como prioridades num plano de ações para os cem primeiros dias de governo, que incluem medidas para o enfrentamento à pandemia da Covid-19, reestruturação do BRT e das linhas de ônibus convencionais da cidade, além de estratégias para o ano letivo de 2021, afetado pela suspensão das aulas presencias no ano passado.

Na área da Saúde, Paes pretende preparar as Clínicas da Família para a campanha de vacinação contra o coronavírus, recompor parte das equipes de saúde da família que sofreram reduções na última gestão e aumentar a transparência do sistema de regulação, o Sisreg. Já na educação, a lista inclui o planejamento imediato do programa “2 anos em 1”, para a volta às aulas após um 2020 em que muitos estudantes não conseguiram acesso às atividades on-line oferecidas pelas escolas durante a pandemia.

O Paes tá on: prefeito madruga nas redes e diz que fará Rio voltar a dar certo em terceiro mandato

Confira quem são os 24 secretários de Paes:

– Salvino Oliveira — Juventude

– Renan Ferreirinha — Educação

Maína Celidonio — Transporte

Joyce Trindade — Mulher

Katia Souza — Infraestrutura

Marcus Faustini — Cultura

Chicão Bulhões — Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação

Cristiano Beraldo — Turismo, do PSDB

Brenno Carnevale — Ordem Pública, Cidadania

Vinicius Cordeiro — Proteção Animal, do Avante

Jorge Felippe Neto — Trabalho e Renda , indicação do avô, Jorge Felippe, presidente da Câmara

Willian Coelho — Ciência e Tecnologia, vereador do DC

Júnior da Lucinha — Terceira Idade, vereador do PL

Fábio Dalmasso Coutinho — Habitação, primo do deputado federal Altinêu Cortes, presidente do PL

Marcelo Calero — Governo e Integridade

Pedro Paulo — Fazenda e Planejamento

Gulherme Schleder — Esporte

Washington Fajardo — Planejamento Urbano

Daniel Soranz — Saúde

Ana Laura Secco — Conservação

Laura Carneiro — Assistência Social

Marli Peçanha — Ação Comunitária

Eduardo Cavalier — Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente

Helena Werneck — Pessoa com Deficiência

Subprefeituras:

Zona Norte – Diego Vaz Ferreira

Zona Sul – Ana Maria Ribeiro

Zona Oeste – Edson Menezes

Centro – Leonardo Leal Regis – Pavão

Jacarepaguá – Talita Galhardo

Tijuca – Wagner Coé

Ilha Governador/Fundão/Paquetá – Rodrigo Toledo

Barra da Tijuca – Raphael Lima

Autarquias:

Riotur – Daniela Maia

Comlurb – Flavio Lopes

CET-Rio – Simone Costa

Rioluz – Bruno Bonetti

Iplan – Claudio Fonseca

Fundação Parques e Jardins – Fabiano Carnevale

Fundação Cidade das Artes – Claudio Versiani

Rio-águas – Jessick Isabelle Trairi

Geo-Rio – André Américo Senos





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui