Rio registra 8,4 graus, a temperatura mais baixa em dez anos, e forte ressaca, efeitos de ciclone extratropical

0
16


Como era esperado, o frio ainda não deu trégua no Rio. Pelo contrário, ainda ganhou força no início desta terça-feira com um novo recorde de mínima em dez anos: 8,4 graus em Jacarepaguá, na Zona Oeste da cidade, segundo o Instituto Nacional de Meteologia (Inmet). O registro não só é o mais baixo de 2021 como toma o título do dia 1º deste mês, quando na Vila Militar foram marcados 8,7 graus, até então a menor temperatura em 10 anos.

O instituto confirmou que, no ranking de medição mais baixa, estão duas ocasiões com 8,1 graus: em 9 de julho de 2011, na Vila Militar, e em 6 de setembro de 2006, no Alto da Boa Vista.

Além do frio acentuado, efeito do ar polar desde o início da semana, o tempo na capital ainda sofre influência do ciclone extratropical que tem diminuído a temperatura nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Os ventos tendem a perder força, mas mostraram sua força nesta terça-feira, com as ressacas na Zona Sul do Rio, que levou areia para o calçadão e pistas da Avenida Delfim Moreira.

Covid-19: Quase todos os pacientes infectados com a variante Delta na cidade do Rio tiveram sintomas de gripe, diz secretaria

O clima frio também é efeito do céu com poucas ou nenhuma nuvem, que não retém o calor.

— Com o céu limpo, não tem a capa de nuvem que segura a temperatura, por isso cai mais. A perda de calor da terra não é retida. Por isso que é mais quente quando é nublado — diz o meteorologista Almerino Marinho, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

A tendência para todo o estado, segundo o instituto, é que a temperatura aumente gradativamente a partir de quinta-feira. Não há previsão de novo recorde para os próximos dias.

Na previsão do Inmet, a capital deve ter os seguintes registros:

  • Terça-feira: mínima de 9 graus e máxima de 22 graus. Ventos fracos a moderados com rajadas.
  • Quarta-feira: mínima de 11 graus e máxima de 23 graus. Ventos fracos a moderados ao longo do dia.
  • Quinta-feira: mínima de 13 graus e máxima de 23 graus. Ventos fracos a moderados.
  • Sexta-feira: mínima de 15 graus e máxima de 25 graus. Ventos fracos a moderados.
  • Sábado: mínima de 14 graus e máxima de 26 graus. Ventos fracos.

Alerta: Estado do Rio ultrapassa marca de um milhão de casos de Covid-19 com o risco de nova onda

Frio no estado

Em Itatiaia, no sul do estado, o Inmet registrou 0,1°C no município nesta terça-feira. Apesar de bem baixa, não chega próximo ao também recorde no último dia 1º, de 9,9 graus negativos no Parque Nacional de Itatiaia. Ainda tem mais frio, com mínima hoje e nessa quarta-feira de 7 graus e máxima de 24 graus, com possibilidade de geada. Já de quinta a sábado tem uma leve subida, com mínima de 10 graus e máxima de 24 graus. Os ventos se mantêm fracos.

Em Nova Friburgo, os moradores se surpreenderam nesta manhã com os relógios de rua marcando zero grau nas primeiras horas. A cidade, um dos destinos turísticos para aproveitar o frio no estado fluminense, segue com temperaturas baixas ao longo da semana. A previsão de máxima se mantém em 21 graus até sexta-feira, e pode chegar a 22 graus no sábado. A mínima também tem tendência de estabilidade, mas bem mais baixa. Nesta terça-feira fica em 6 graus, na quarta, em 7 graus, e continua a subir lentamente na quinta e sexta-feira, podendo se manter em 8 graus, segundo dados do Inmet.

Reconhecimento: Recanto de tartarugas, Praia Vermelha, no Rio, vai virar santuário marinho

Moradores de Petrópolis, na Região Metropolitana do Rio, também destacaram as baixas temperaturas na manhã desta terça-feira. Por volta das 8h20, um internauta compartilhou em rede social o termômetro marcando 8,5 graus em Itaipava. Segundo o Inmet, para hoje, a mínima é ainda mais baixa: 6 graus. Já a máxima fica em 24 graus. Na quarta-feira, tem uma leve variação, com mínima de 7 graus e máxima de 22 graus. Já de quinta a sábado, a variação deve ficar entre 9 graus e 23 graus, com céu com poucas nuvens.

Equipes da Comlurb precisaram tirar a areia da Praia do Leblon das pistas da Avenida Delfim Moreira e do calçadão
Equipes da Comlurb precisaram tirar a areia da Praia do Leblon das pistas da Avenida Delfim Moreira e do calçadão Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

Ressaca atinge calçadão e pistas

A Marinha do Brasil emitiu nessa segunda-feira o aviso de ressaca para a orla da cidade do Rio. De acordo com o comunicado, ondas de 2,5 a 3 metros de altura até as 9h de quarta-feira. O mar agitado levou areia da Praia do Leblon para as pistas da Avenida Delfim Moreira. O Centro de Operações Rio registrou o trabalho da Comlurb para a limpeza ainda no início da manhã, por volta das 6h20. Equipes da companhia varreram a via e o calçadão. Duas pistas precisaram ser fechadas para o trabalho.

O céu com poucas nuvens e sem chuvas ao longo do dia podem ser tentadores para um banho de mar, apesar do frio. Com o aviso de ressaca ainda vigente, é preciso seguir recomendações de segurança, entre elas, evitar o banho de mar em áreas que estejam em condições de ressaca, a prática de esportes no mar e trafegar de bicicleta na orla caso as ondas estejam atingindo a ciclovia.





Fonte: G1