projeto social no Rio prepara 200 cestas para famílias carentes com pernil e pão de rabanada

0
13


O Natal não vai passar em branco para as crianças assistidas pela instituição Faixa Preta de Jesus. Na pandemia do novo coronavírus, o projeto social voltado para a educação através do esporte resolveu multiplicar as ações, garantindo suporte médico, comida à mesa e outras atividades a pelo menos 500 famílias da Baixada Fluminense e fazendo a distribuição quinzenal de gêneros alimentícios, frutas e legumes. Agora, especialmente para o fim do ano, estão sendo preparadas 200 cestas natalinas, com direito a pernil e pão para rabanada.

O projeto, tema da coluna ExtraVip de Alberto Aquino na semana passada, foi criado em 2007 por Ricardo José Cavalcanti, ex-morador de rua que, como ele mesmo diz, chegou ao “fundo do poço”, para onde foi levado pelo uso de drogas. Com ajuda de empresários da Baixada e do Rio, Ricardo consegue manter a instituição oferecendo educação através das artes marciais, ocupando o tempo de crianças e adolescentes de Nova Iguaçu e também de outras cidades da região com sua proposta de mudança social.

Projeto já ajudou mais de 500 famílias da Baixada Fluminense com doação de alimentos
Projeto já ajudou mais de 500 famílias da Baixada Fluminense com doação de alimentos Foto: Divulgação

Ricardo criou o Faixa Preta de Jesus há 13 anos
Ricardo criou o Faixa Preta de Jesus há 13 anos Foto: Cléber Júnior

— Em março, com a pandemia, chegamos à conclusão de que se continuássemos só com as lutas fecharíamos as portas. Então criamos a Inovação Social e a Caixa do Bem, com as quais abastecemos famílias da região com macarrão, arroz, feijão, ovos, biscoitos, frutas, legumes, sucos, guaraná natural… Graças à ajuda de empresas — diz Ricardo, que preside a entidade, acrescentando que até hoje já foram doadas 15 mil toneladas de alimentos.

Moradora do Jardim Iguaçu, Luana dos Santos do Carmo, de 39 anos, está desempregada e vive com R$ 358 que recebe do Bolsa Família. A comida que põe à mesa em casa vem da ajuda do projeto, onde três de seus seis filhos estão matriculados:

— Se não fosse o projeto Faixa Preta de Jesus, não o que seria da minha vida, pois o que eu ganho não dá para ajudar em nada em casa. O que está me levando mesmo é o projeto, ajudando a mim e a minha família.

Ricardo entrega a Caixa do Bem a Marileia, que está acompanhada dos filhos na foto
Ricardo entrega a Caixa do Bem a Marileia, que está acompanhada dos filhos na foto Foto: Cléber Júnior

Também desempregada, Marileia dos Santos de Souza Barreto, de 37, mora com os três filhos no bairro Califórnia. O mais velho tem 17 anos e é portador de necessidades especiais. Por precisar cuidar dele em tempo integral, ela não pode trabalhar fora. Enquanto espera o INSS liberar o benefício instituído pela Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), Marileia vai contando com os alimentos garantidos a cada 15 dias pelo projeto, no qual dois de seus filhos praticam esportes:

— Hoje, na pandemia, o projeto me ajuda muito, pois não recebo benefício algum. Já dei entrada no INSS estou aguardando. Sempre quando tem doação sou chamada para buscar.

Interessados em ajudar ou entrar para os projetos da instituição podem procurar a Faixa Preta de Jesus na Avenida Governador Roberto Silveira 1.50, no Centro de Nova Iguaçu, ou entrar em contato pelo site oficial.





Fonte: G1