Prefeitura registra 736 autuações no primeiro dia das medidas mais restritivas no município

0
9


Rio – No balanço da fiscalização do primeiro dia de medidas mais restritivas na cidade, que vai até o dia 4 de abril, agentes da prefeitura registraram ao todo 736 autuações em todo município, incluindo multas e interdições a estabelecimentos, infrações sanitárias, multas de trânsito, reboques e apreensões de mercadorias. Foram aplicadas 186 multas a bares, restaurantes e ambulantes e 11 estabelecimentos foram fechados por funcionamento fora das regras determinadas pelo decreto.

A operação contou com agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), Guarda Municipal, Instituto Municipal de Vigilância Sanitária e apoio da Polícia Militar. Os comboios de fiscalização percorreram pontos dos bairros de Santa Cruz, Zona Portuária, Rocha Miranda, Centro, Barra da Tijuca entre outros. Houve pontos de fiscalização nos bairros da Tijuca, Flamengo, Vila Isabel entre outros.

“Neste primeiro dia já sentimos uma diminuição do fluxo de pessoas pela cidade. De toda forma, nossas equipes continuarão nas ruas fiscalizando e multando aqueles que descumprirem as medidas determinadas pelo decreto. Contamos com a colaboração da população, mas não deixaremos que fazer valer o decreto”, afirma o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Na tarde de ontem, guardas municipais foram acionados para dispersar uma aglomeração de banhistas na praia da Joatinga, no bairro do Joá, Zona Oeste do Rio. Quando as equipes chegaram ao local, havia cerca de 150 pessoas. Todos foram orientados sobre a proibição da permanência nas praias da cidade e saíram do local. Não houve registro de confrontos.

Banhistas em dispersão na praia da Joatinga, no bairro do Joá, na Zona Oeste do Rio
Banhistas em dispersão na praia da Joatinga, no bairro do Joá, na Zona Oeste do Rio Foto: Secretaria de Ordem Pública / Reprodução

Apesar disso, pôde ser visto grande movimentação em bairros da Zona Sul, como em Botafogo e Copacabana, que foi local de uma manifestação contra as medidas mais restritivas. Segundo a prefeitura, o primeiro dia do feriadão adotado para tentar conter os números alarmantes de casos de Covid-19 foi marcado por ruas cheias, ônibus lotados e até uma manifestação.

Em bairros na Baixada Fluminense, nada mudou nesta sexta-feira. Seja em municípios onde foram publicados decretos restritivos com antecipação de feriados ou não, foi um dia comum, com comércios cheios, filas de banco com centenas de pessoas e muita, muita aglomeração nos centros comerciais, com diversos flagrantes de pessoas não usando máscaras e sem qualquer preocupação de distanciamento social. No limite dos municípios de São João de Meriti e Rio de Janeiro, o movimento de pessoas era intenso tanto do lado do bairro da Pavuna, tanto quanto do lado da Baixada Fluminense. O comércio funcionava a todo vapor e algumas lojas estavam com capacidade de clientes acima de 50% como determina o decreto municipal.

Moradora de São João de Meriti e que trabalha no Rio de Janeiro, a cuidadora Telma Oliveira, de 60 anos, relatou não ter visto diferença no trajeto que percorre normalmente e preferiu pegar um uber para evitar aglomeração no transporte público.

Aglomeração em rua de Belford Roxo no primeiro dia do feriado
Aglomeração em rua de Belford Roxo no primeiro dia do feriado Foto: DOmingo Peixoto

– Está um dia normal. Tudo aberto, as pessoas andando na rua, ninguém obedece nada não. Saí do trabalho vim para casa e não vi nenhuma diferença para os demais dias – disse.





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui