Mulher passeia com ganso Gianecchini em São Gonçalo e vídeo viraliza nas redes

0
691


RIO — Fátima Ribeiro, de 42 anos, protagonizou um episódio inusitado ao passear com seu ganso de estimação Gianecchini no centro de Alcântara, em São Gonçalo, nesta última quarta-feira. A cabeleireira voltava de um compromisso na região quando foi gravada andando com o animal preso na coleira e o carregando no colo logo na sequência. O vídeo, que viralizou na web, atingiu uma projeção maior que 10 mil compartilhamentos no Facebook.

Gianecchini faz parte da família de Fátima há quatro anos, e já fez sucesso em outros passeios que acompanhou a dona. A moradora de São Gonçalo se diz estar acostumada com as abordagens de pessoas pedindo para paparicar o ganso, e ela ainda afirma que o animal não demonstra nenhum sinal de timidez perto de gente desconhecida.

— Ele interage com as pessoas na rua, é exibido. Quando alguém fala com ele, ele sabe que está falando e responde. No réveillon, quando fomos à praia de Copacabana, eu olhava todo mundo com o celular filmando. Quando entrávamos no mar para nadar juntos e eu olhava para a areia, todo mundo apontava a câmera do celular. Quando pedem para tirar foto, eu deixo, sem problema algum. Tem gente que pede para passear, é bem tranquilo — comenta Fátima.

Além de Gianecchini, a cabeleireira tem mais 13 animais de estimação, entre eles, mais um ganso, três cachorros, dois gatos, dois papagaios e seis galinhas. Fátima ainda revelou que nunca sai de casa sem um dos seus bichinhos, mas em percursos mais longos, ela prefere levar consigo sua ave mais famosa.

— Levo os outros quando o caminho é curto. Para ir longe, para andar de carro, ou de ônibus, eu levo o papagaio ou o ganso, porque dá menos trabalho. O cachorro é muito grande, para enfiar ele no carro fica difícil, também não deixam ele entrar no ônibus. Para levar o ganso é só forrar um pano no carro e ele fica quietinho — diz a cabeleireira, que carrega sempre uma casinha portátil para o pôr o ganso, em lugares em que ele não pode entrar.

Fátima Ribeiro tem Gianecchini como animal de estimação há quatro anos
Fátima Ribeiro tem Gianecchini como animal de estimação há quatro anos Foto: Arquivo pessoal

Embora os gansos possuam uma fama de serem agressivos, Fátima garante que seu animal é super dócil.

— Geralmente, os gansos que crescem em grandes fazendas são agressivos, porque eles crescem sem muita atenção. Eu cheguei a criar só quatro gansos ao mesmo tempo, e eles sempre tiveram muito amor, e é essa a diferença. Ele nunca foi perigoso para a família — afirma.





Fonte: G1