mochila encontrada em alto-mar é de copiloto, diz família; mãe conta que foi uma piloto mulher que orientou tripulantes a pousarem

0
2398

A mochila encontrada no último sábado em alto-mar pela Marinha pertence ao copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, uma das vítimas da queda de um bimotor que vinha de Campinas, em São Paulo, em direção ao Rio de Janeiro. A informação foi divulgada na manhã desta quinta-feira pela mãe do rapaz, a esteticista Ana Regina Agostinho, de 43. Ela contou também que foi uma piloto mulher que orientou o comandante do bimotor, Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos, como deveria proceder durante a queda.

— A assessoria de imprensa da Marinha me ligou ontem, ao meio-dia, e falou que ele se solidarizava com a família e iriam dar os informes duas vezes ao dia. Eles não deram retorno ontem à noite. Estou esperando alguma notícia hoje. Além disso, eles me falaram que a bolsa achada era do meu filho e que era para a gente ir até São Sebastião, na delegacia, pegar. Eu pedi que eles (a Marinha) nos entregassem, já que estamos nas buscas. Desconversaram — relata a esteticista.

Ana Regina Agostinho, mãe do copiloto José Porfírio

Ana Regina Agostinho, mãe do copiloto José Porfírio Foto: ReproduçãoAna diz que foi uma piloto mulher que ajudou os tripulantes do bimotor sobre como deveriam aterrissar. Ela crê que a conversa captada por um avião que passava perto e que ajudou os tripulantes no pouso poderá ajudar a entender o que aconteceu.

— A conversa pode informar o que aconteceu. Foi uma piloto mulher que ajudou o meu filho. Ela relatou o desespero do meu filho quando eles estavam caindo — e completou:

— É uma guerra a procura do meu filho. Criamos grupos de WhatsApp para as buscas dos dois. Eu tenho certeza de que o meu filho está vivo e, se Deus quiser, vamos achá-los vivos. As buscas pelo avião não vão parar. Hoje, vamos circular com uma embarcação que tem uma rede de 70 metros de profundidade. Se ela agarra em algum local, vamos avisar aos mergulhadores do Corpo de Bombeiros.

Ana Regina afirmou que vem contando com a ajuda de amigos e parentes para tentar localizar o filho, que estava em um bimotor que saiu às 20h30min do Aeroporto dos Amarais, em Campinas, e deveria pousar no Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, pouco depois das 21h40min. Além de Porfírio Júnior, o voo levava o piloto Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos — cujo corpo foi encontrado na última quinta-feira —, e o empresário Sérgio Alves, de 45.

Namorada reclama da Marinha

Namorada de Porfírio Junior, a universitária Thalya Ares Viana, de 20, postou sobre o tempo de desaparecimento do copiloto e sobre a expectativa da Marinha ajudar nas buscas. “Uma semana de muita procura, muita oração, implorando por ajuda, mas não vamos desistir. Ainda estamos aguardando a atualização que a Marinha ficou de dar à minha sogra, para planejarmos mais um dia de busca. Só precisamos de ajuda, mas te achar!”, escreveu ela na legenda da foto em que os dois aparecem juntos.

Fonte: G1