Ministério da Saúde recomenda suspensão de vacinação em adolescentes sem comorbidades

0
11



O Ministério da Saúde publicou, na quarta-feira (15), uma nota técnica na qual recomenda a suspensão da vacinação em adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidade. Com a mudança, a recomendação é que a vacinação nesta faixa etária seja somente em adolescentes que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade.

“A Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, na Nota Técnica nº 40/2021- SECOVID/GAB/SECOVID/MS, revisou a recomendação para imunização contra COVID-19 em adolescentes de 12 a 17 anos, restringindo o seu emprego somente aos adolescentes de 12 a 17 anos que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade, apesar da autorização pela Anvisa do uso da Vacina Cominarty (Pfizer/Biontech)”, informa o ofício.

De acordo com a pasta, houve uma evolução benigna da doença na maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela covid-19. O Ministério também cita a redução na média móvel de casos e óbitos. A nota técnica, no entanto, não informa qual é o procedimento para a segunda dose dos adolescentes que já foram vacinados e também não dá detalhes de como os adolescentes terão que comprovar que estão elegíveis para se vacinarem.

A nota afirma que a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda a imunização de criança e adolescente, com ou sem comorbidades. No entanto, a OMS declara apenas que “crianças e adolescentes são menos propensos a ter complicações por causa da doença” e, portanto, é “menos urgente” a imunização desse grupo. 

“Destacamos que a orientação da NOTA TÉCNICA 36/2021-SECOVID/GAB/SECOVID/MS estabelecia que os adolescentes sem comorbidades seria o último subgrupo elegível para vacinação e somente vigoraria a partir do dia 15 de setembro. Outrossim, reafirmamos que Estados e Municípios sigam as orientações do Programa Nacional de Operacionalização da Covid-19”, apontou a nota.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) publicou uma nota nesta quinta-feira (16), após a recomendação do Ministério da Saúde, na qual ressalta a necessidade da imunização desse público.

“A vacinação de todos os adolescentes é segura e será necessária, priorizando neste momento aqueles com comorbidade, deficiência permanente e vulneráveis como os privados de liberdade e em situação de rua. Havendo quantitativo de doses suficientes para atender a estas prioridades deve imediatamente ser iniciada a vacinação dos demais adolescentes”, afirma.



Fonte: O São Gonçalo