Mangueira define samba que vai levar para a Sapucaí em 2023; neste domingo a escolha será na Vila Isabel

As 12 escolas de samba do Grupo Especial do Rio deram a largada para a escolha dos hinos que vão embalar seus enredos na Sapucaí, em fevereiro de 2023. Depois da Paraíso do Tuiuti, que escolheu seu samba na sexta-feira, foi a vez da Mangueira, nesse sábado. As escolhas prosseguem nesse domingo com a Vila Isabel. E, na terça-feira, tem mais: Salgueiro prepara uma grande festa para sua final. As decisões vão até o dia 23, com a Mocidade.

O samba escolhido pela verde e rosa foi a parceria de Lequinho, Junior Fionda, Gabriel Machado, Guilherme Sá e Paulinho Bandolim, que vai embalar o enredo “As Áfricas que a Bahia canta”. A final teve um sabor de saudade, já que foram três anos sem uma decisão dessas no Palácio do Samba, por conta da pandemia.
O público prestigiou. As torcidas lotaram a quadra para a grande festa da escolha do samba. A obra de Lequinho e parceiros contagiou o mangueirense desde o início das disputas e foi ovacionado após o anúncio oficial da escola, feito já na madrugada deste domingo.

— Estou muito feliz, pois tínhamos o sonho de unir as parcerias e de fazer um samba que agradasse nossos corações, e foi isso que conseguimos realizar, coroada com esta vitória — destacou Lequinho, compositor 11 vezes campeão na verde e rosa.

A cantora baiana Margareth Menezes, que gravou o samba vitorioso, marcou presença na final.

— É um momento muito especial para mim. Meu pai e minha mãe me ensinaram a amar a Mangueira desde criancinha, que é um reinado da nossa música brasileira, sempre exaltando a cultura da Bahia. Só tenho que agradecer a Mangueira — disse a cantora.
A presidente da verde e rosa, Guanayra Firmino destacou a participação de trinta composições na disputa. Na sua opinião, a grande participação é resultado da credibilidade no trabalho que vem sendo realizado por sua administração e a força do enredo que a agremiação apresentará no próximo carnaval.

O enredo da Mangueira será desenvolvido pelos carnavalescos Guilherme Estevão e Annik Salmon. A escola pretende mostrar em seu desfile as construções das visões de África na Bahia a partir de sua musicalidade e instituições carnavalescas negras, destacando o protagonismo feminino nesse processo e as lutas contra intolerância, racismo e pelo fortalecimento da identidade afrobrasileira.

Festa continua na Vila Isabel

A festa continua neste domingo na quadra da Unidos de Vila Isabel. A escola do bairro de Noel vai escolher nesta noite o samba-enredo do Carnaval 2023, quando levará para a Marquês de Sapucaí uma ode às festas populares de cunho religioso do Brasil e do mundo. O desfile será assinado pelo carnavalesco Paulo Barros.
Das 11 parcerias inscritas, seguemn na disputa: as de número 02 (parceria de JC Couto e cia.); 11 (Dinny da Vila e cia.) e 13 (Rafael Tinguinha e cia.). Elas serão as grandes estrelas da finalíssima, com apresentações de 25 minutos cada uma, precedidas de um show com segmentos da agremiação, que farão um show especial para o público da quadra acompanhados da rainha Sabrina Sato, presença confirmada à frente da bateria ‘Swingueira de Noel’.
Os portões estarão abertos a partir das 17h, com entrada grátis até às 19h. Depois desse horário, os ingressos custarão R$ 20 — é possível adquirir mesas com quatro lugares por R$ 100. Camarotes também estão à disposição e custam R$ 1 mil para até 15 pessoas.
Com o enredo “Nesta Festa, Eu Levo Fé!”, a Vila será a terceira a cruzar a Sapucaí na Segunda-feira de Carnaval, em 20 de fevereiro de 2023.

Torcidas prestigiaram volta da final no Palácio do Sambas, após pandemia
Torcidas prestigiaram volta da final no Palácio do Sambas, após pandemia Foto: Divulgação/ Thiago Mattos

Confira a letra do hino mangueirense:

Oyá, oyá, oyá eô!
Ê matamba, dona da minha nação
Filha do amanhecer, carregada no dendê
Sou eu a flecha da evolução
Sou eu mangueira, flecha da evolução
Levo a cor, meu ilú é o tambor
Que tremeu salvador, Bahia
Áfricas que recriei
Resistir é lei, arte é rebeldia
Coroada pelos cucumbis
Do quilombo às embaixadas
Com ganzás e xequerês fundei o meu país
Pelo som dos atabaques canta meu pais
Traz o padê de exu
Pra mamãe oxum toca o ijexá
Rua dos afoxés
Voz dos candomblés, xirê de orixá
Deusa do ilê aiye, do gueto
Meu cabelo black, negão, coroa de preto
Não foi em vão a luta de catendê
Sonho badauê, revolução didá
Candace de olodum, sou debalê de ogum
Filhos de gandhy, paz de oxalá
Quando a alegria invade o pelô
É carnaval, na pele o swing da cor
O meu timbau é força e poder
Por cada mulher de arerê
Liberta o batuque do canjerê
Eparrey oya! Eparrey mainha!
Quando e verde encontra o rosa
Toda preta é rainha
O samba foi morar onde o rio é mais baiano
O samba foi morar onde o rio é mais baiano
Reina a ginga de iaiá na ladeira
No ilê de tia Fé, axé, Mangueira!

Nesse domingo será a vez da Vila Isabel escolher seu samba
Nesse domingo será a vez da Vila Isabel escolher seu samba Foto: Divulgação/ Diego Mendes

Veja as datas das outras escolas:

09/10 (hoje) – Vila Isabel

11/10 (terça) – Salgueiro
14/10 (sex) – Portela

15/10 (sáb) – Império Serrano

16/10 (dom) – Viradouro

17/10 (seg) – Imperatriz
20/10 (qui) – Beija-Flor

21/10 (sex) – Grande Rio

22/10 (sáb) – Unidos da Tijuca

23/10 (dom) – Mocidade



Fonte: Portal G1