idosos denunciam irregularidades na distribuição de senhas em Belford Roxo

0
26


Nesta sexta-feira, idosos que procuraram a Policlínica Neuza Brizola, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, denunciaram irregularidades na distribuição de senhas para a vacinação contra a Covid-19. O aposentado Hélio de Oliveira, de 84 anos, chegou pouco antes das 5h ao local e só garantiu o número 112. Segundo ele, mesmo após a distribuição das vagas, uma mulher que não estava na fila conseguiu pegar cinco números.

— Cheguei hoje aqui às 4h50. É a segunda vez que tento. Ontem cheguei um pouco depois das 6h e não tinha mais número. Hoje por volta das 6h uma senhora que não estava na fila pegou cinco números com uma diretora do posto. Isso é uma vergonha — reclamou.

Espera de novas remessas: Com poucas doses, cidade do Rio tenta antecipar lote da CoronaVac para manter vacinação de idosos na próxima semana

Por volta das 9h, houve um princípio de tumulto após um homem que não quis ser identificado entregar uma senha a uma senhora que não estava na fila.

O pedreiro Evaldo de Souza, de 60 anos, conseguiu pegar o número três para sua mãe, a aposentada Valdelina Agripina, de 88 anos
O pedreiro Evaldo de Souza, de 60 anos, conseguiu pegar o número três para sua mãe, a aposentada Valdelina Agripina, de 88 anos Foto: Cintia Cruz / Agência O Globo

O pedreiro Evaldo de Souza, de 60 anos, conseguiu o número três para sua mãe, a aposentada Valdelina Agripina, de 88 anos.

— Ontem cheguei às 8h, mas já tinha acabado. Hoje, cheguei às 3h e depois minha sobrinha trouxe ela. É uma falta de respeito. Idosos como ela deveriam ser vacinados em casa. Eu tenho 60 anos, quando for minha vez, vou ter que dormir aqui. Vou pedir para minha sobrinha dormir e pegar número para mim.

Denezora Rodrigues de Oliveira, de 80 anos, chegou às 4h30 no posto para se vacinar
Denezora Rodrigues de Oliveira, de 80 anos, chegou às 4h30 no posto para se vacinar Foto: Cintia Cruz / Agência O Globo

A aposentada Denezora Rodrigues de Oliveira, de 80 anos, chegou às 6h no posto na quinta-feira mas não conseguiu senha. Nesta sexta-feira, precisou madrugar para garantir o número 66

— Levantei às 4h e cheguei aqui às 4h30. Isso porque moro aqui no Centro. Se morasse em outro bairro, não iria conseguir.

Agentes de endemia de Belford Roxo fizeram um protesto em frente à Policlínica Neuza Brizola e fecharam o trânsito por alguns minutos. Uma delas chegou a deitar no chão. Além de estarem sem receber os salários de janeiro e fevereiro, foram exonerados dia 31 de dezembro e continuaram trabalhando até 22 de janeiro.

O Extra solicitou um posicionamento da Prefeitura de Belford Roxo sobre o caso.





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui