Gonçalense com lúpus e artrite reumatóide luta para conseguir internação e tratamento

0
9



A família de uma jovem moradora de Tribobó, em São Gonçalo, tem enfrentado uma odisseia para conseguir o tratamento adequado na rede pública de saúde. Vivian Ribeiro Leite, de 23 anos, tem lúpus e artrite reumatóide, duas doenças autoimunes que, se não tratadas, podem provocar degeneração dos ossos e, em alguns casos, até levar à morte. Os familiares lutam para conseguir internar a jovem em um hospital que possa realizar o tratamento adequado dos casos.

O lúpus é uma doença inflamatória autoimune, que pode afetar múltiplos órgãos e tecidos, como pele, articulações, rins e cérebro. Em casos mais graves, se não tratada adequadamente, pode matar. Já a artrite reumatoide, que também é uma doença autoimune, é caracterizada pelo ataque do próprio corpo às articulações, o que provoca inchaço, rigidez e dores nas juntas, limitando os movimentos. Casos de inflamação crônica podem provocar deformações e chega a degenerar os ossos. Por conta das dificuldades em conseguir tratamento e do agravamento das doenças, Vivian também tem apresentado um quadro de depressão.

A mãe de Vivian, Viviane Ribeiro Fernandes, fez um desabafo e falou que sofre ao ver a filha sem conseguir o tratamento adequado. “É uma raridade uma jovem de 23 anos ter esse tipo de doença. Ela é uma jovem que não pode fazer nada, não consegue se locomover e acaba dependendo de mim para tudo. Não temos nenhum tipo de acesso à saúde dignamente. Já fomos a vários hospitais e não conseguimos nada, e voltamos para casa com ela sentindo as dores. Ela não dorme à noite inteira! Toda essa situação está provocando um quadro depressivo nela”, afirmou a gonçalense.

“Nós fomos a vários hospitais. Quando vamos na emergência, eles dizem que não tem a especialidade dela e que a única coisa que podem dar para ela é uma injeção que ameniza as dores que sente, por três horas”. Eu queria que o hospital pudesse se sensibilizar com minha dor. Imaginem como é ficar com um filho em casa sentindo dor e sem saber o que fazer, ou para onde pedir socorro!”, concluiu.

Os familiares informaram que receberam orientação médica para que a Vivian fosse internada no Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), em Niterói, pois é o único da região com médicos especialistas que podem realizar o tratamento adequado da jovem.

Em contato com a reportagem, a assessoria de imprensa do Huap informou que aguarda a confirmação do encaminhamento da paciente pela central de regulação. 

*Sob supervisão de Cyntia Fonseca



Fonte: O São Gonçalo