Funcionários do Hospital de Saracuruna denunciam salários atrasados e saída de materiais da unidade

1
40


Seis meses após assumir a gestão do Hospital estadual Adão Pereira Nunes, o Hospital de Saracuruna, a Prefeitura de Duque de Caxias pode deixar a administração da unidade de forma semelhante ao que fez a Organização Social Iabas, em julho do ano passado. Na ocasião, os funcionários do hospital contratados pela OS ficaram sem receber o salário de junho e os 15 dias trabalhados em julho.

Dessa vez, os profissionais ainda não receberam o mês de dezembro e temem ficar sem o salário referente aos 15 primeiros dias de janeiro.

— Não pagaram dezembro nem sabemos quem vai pagar os 15 dias de janeiro. Se não pagarem amanhã (hoje, dia 15), já era. Ficaremos mais uma vez sem dinheiro e com dívida — disse uma funcionária, que não quis se identificar.

Leia também: Justiça determina regularização dos serviços no Hospital de Saracuruna

Além da ameaça de ficar sem receber, funcionários relataram que a prefeitura está retirando equipamentos e insumos do hospital.

— Estão carregando tudo. Não tem cadeira nem macas — denunciou um funcionário.

Prateleiras vazias na unidade: profissionais dizem que a prefeitura está tirando insumos e objetos do hospital. Secretaria negou a informação
Prateleiras vazias na unidade: profissionais dizem que a prefeitura está tirando insumos e objetos do hospital. Secretaria negou a informação Foto: Reprodução

— Estava tudo cheio. Sumiram macas e equipamentos. Pegaram insumos — afirmou outro.

A Secretaria municipal de Saúde de Duque de Caxias negou a denúncia de retirada de remédios ou equipamentos por parte da prefeitura. Afirmou que a farmácia do hospital está “completamente abastecida” e a unidade encontra-se em pleno funcionamento.

Sobre o pagamento do funcionários, informou que os salários de dezembro e dos 15 dias do mês de janeiro não foram pagos porque o Governo do Estado não repassou, até o momento, os recursos do convênio firmado entre as partes, e que aguarda entrada dos recursos para fazer pagamentos.

Sobre os salários de junho, o Iabas informou que a Secretaria estadual de Saúde já reconheceu que deve quase R$ 40 milhões ao Iabas, cujos valores seriam destinados a pagar as rescisões, e que uma nova audiência está agendada para o dia 21 deste mês.

A Secretaria estadual de Saúde não respondeu ao EXTRA.

Prateleiras vazias na unidade: profissionais dizem que a prefeitura está tirando insumos e objetos do hospital. Secretaria negou a informação
Prateleiras vazias na unidade: profissionais dizem que a prefeitura está tirando insumos e objetos do hospital. Secretaria negou a informação Foto: Reprodução

Nota da Prefeitura de Duque de Caxias

A Prefeitura de Duque de Caxias, através da Secretaria Municipal de Saúde, esclarece que não é verdadeira a denúncia de retirada de remédios ou equipamentos, por parte da PMDC, do Hospital de Saracuruna. Ao contrário disso, a Prefeitura vem cumprindo com todos os compromissos firmados durante o período em que administra o HEAPN. Desde o início da gestão, promoveu uma série de melhorias estruturais, garantiu o pagamento dos funcionários e colaboradores, além de suprir a unidade com novos equipamentos, insumos e remédios. A farmácia do hospital está completamente abastecida e a unidade encontra-se em pleno funcionamento, desempenhando serviços de excelência e contando com um corpo profissional de altíssima qualidade. O Hospital de Saracuruna é referência em trauma, atendimentos de urgência, emergência e maternidade de alto risco, é o segundo maior captador de órgãos e tecidos para transplante do país e atende a pacientes de todo o estado do Rio de Janeiro. A Prefeitura de Duque de Caxias coloca-se à disposição da população para continuar administrando a maior emergência da Baixada Fluminense pelo tempo que for possível, até porque, acredita ser um retrocesso a retirada da Executivo Municipal da gestão da unidade.

Quanto ao pagamento dos funcionários do HEAPN, a Prefeitura de Duque de Caxias esclarece que os salários referentes ao mês de dezembro/2020 e 15 dias do mês de janeiro/2021, não foram pagos ainda porque o Governo do Estado não repassou até o momento os recursos do convênio firmado entre as partes, que determina que o repasse à PMDC deveria ter sido feito em 05/12/2020. A Prefeitura informa que o Governo do Estado já foi acionado e que aguarda a entrada dos recursos para a realização dos pagamentos.

Nota do Iabas

O Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (IABAS) informa que cobra do governo do Estado do Rio de Janeiro na Justiça os repasses da gestão do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes referentes a maio, junho e julho no valor de R$ 89.106.082,72.

Na última audiência realizada no Tribunal Regional do Trabalho no dia 12 de janeiro, o Estado mais uma vez se negou a quitar o que ainda tem pendente com a entidade, sob a justificativa que há um processo interno avaliando tal dívida.

Cabe informar que a SES já reconheceu que deve quase R$ 40 milhões ao IABAS cujos valores seriam destinados a pagar as rescisões. Uma nova audiência está agendada para o dia 21 de janeiro.





Fonte: G1

1 COMENTÁRIO

  1. A PREFEITURA SEMPRE NEGA, MAIS REALMENTE FALTA TUDO, INCLUSIVE MEDICAÇÕES IMPORTANTES COMO NORADRENALINA, ANTIBIÓTICOS E ATÉ MEDICAÇÕES SIMPLES PRA DOR, COMO DIPIRONA. DESDE QUE A PREFEITURA ASSUMIU,DISPENSOU BOA PARTE DOS PROFISSIONAIS ANTIGOS E BEM PREPARADOS, E CONTRATOU PROFISSIONAIS DESPREPARADOS, PROFISSIONAIS QUE NÃO SABEM DIFERENÇA DE MEDICACÃO IV E VO, QUE ADMINISTRAM MEDICAÇÕES DE UM PACIENTE EM OUTRO, ENFERMEIROS QUE NÃO SABEM DIFERENCIAR PROCEDIMENTOS ESTÉREIS E NÃO ESTÉREIS, O ÍNDICE DE MORTE AUMENTOU MUITO, AO INVÉS DE SALVAR VIDAS, ESTÃO MATANDO VIDAS! FUI FUNCIONÁRIA DE LÁ, MINHA IRMÃ AINDA TRABALHA LÁ!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui