Festas durante a madrugada têm tirado sono de moradores de Itaipuaçu

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Moradores da rua 1, no bairro Jardim Atlântico, localizado em Itaipuaçu, têm enfrentado um grande incômodo em quase todos os fins de semana, especialmente nas madrugadas de sábado para domingo. De acordo com eles, centenas de pessoas têm se reunido em frente a um pub local e criam um verdadeiro baile a céu aberto, com funk proibidão, som alto e motos sem emplacamento.

Os moradores dizem que os frequentadores dos ‘bailes’ vão ao local sem capacete, estacionam suas motos e carros na Rua 1 e ocupam toda a calçada sem serem incomodados, na verdade incomodando quem precisa passar pelo local e tem que desviar dos carros e da festa para chegar ao seu destino. Ainda segundo os moradores, a festa costuma ir até às 7h da manhã, tirando o sono de quem mora perto do ‘bailão’.

Segundo um morador que preferiu não se identificar, até acidentes já aconteceram no local. “Já teve acidente em frente ao local com um jovem com moto, que pegou sua moto, começou a acelerar pela via e perdeu o controle, acertando o poste. São carros com som alto no meio da via atrapalhando a passagem de ônibus e outros veículos, e motos barulhentas acelerando com pessoas na garupa sem capacete. Sempre tem confusão com essas pessoas que ali ficam até o dia amanhecer.”, disse o morador

“Isso gera medo, insegurança e é notório que as coisas estão ficando fora do controle aqui! Concordo que a cidade cresceu e evoluiu muito e precisava desses comércios locais, mas junto veio a desordem urbana. Daqui uns tempos vai estar totalmente fora de controle essas desordem!”, completou.

Questionada, a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que “as unidades da Corporação atuam regularmente para impedir a realização de eventos não autorizados em vias públicas em todo o estado. Quando acionadas, as unidades operacionais são mobilizadas em apoio aos órgãos municipais e estaduais em suas respectivas atribuições com relação à fiscalização de ordenamento urbano.  

 A população pode fazer o acionamento via Central 190. Nossas equipes se direcionam ao local para averiguar eventuais denúncias. A premissa inicial é a do diálogo. Não havendo acordo, as partes são conduzidas à delegacia da região”.

A Prefeitura de Maricá não encaminhou resposta sobre o caso.

Fonte: O São Gonçalo