Festa de Réveillon virtual é cancelada pela Prefeitura do Rio

0
49



Nesta terça-feira (15), as festas online que estavam previstas para acontecerem na virada do ano novo no Rio de Janeiro foram canceladas. Com a quarentena e o aumento do número de doentes e de óbitos por causa da covid-19 , as autoridades chegaram a conclusão ser impossível continuar com a tradicional festa de réveillon, com shows e queimas de fogos na Praia de Copacabana, na passagem para 2021.  

 

A prefeitura havia anunciado a festa alternativa, com a ideia de realizar apresentações com transmissão virtual em seis palcos espalhados pela cidade, incluindo shows com luzes. De acordo com a coluna do Ancelmo Gois, do Jornal o Globo, devido ao grande aumento dos casos de Covid-19, o projeto teve que ser desfeito.

 

O prefeito Marcelo Crivella realizou, nesta terça-feira (15), uma reunião com o seu secretário para balanço de fim de gestão, com o tema do réveillon em pauta. Houve uma discussão em relação a outra proposta, sendo um único show em um palco no Engenhão, com a intensão de diminuir a probabilidade de contaminação. Contudo, diante da realidade vivida em decorrência da pandemia,  optou-se pelo cancelamento.

 

Através da Riotur, a Prefeitura se pronunciou em nota informando que o motivo do cancelamento da festa se deu “em função do atual cenário da pandemia da Covid-19”. Mesmo que a proposta prezasse a ausência de público, a prefeitura disse que desfez a ideia “em respeito a todas as vítimas e em favor a segurança de todos”.

 

A prefeitura havia anunciado um projeto do réveillon no final de outubro, ao qual o lema seria “Fique em casa, o réveillon vai até você”, assinado pelo cenógrafo Abel Gomes, da empresa SRCOM. O planejamento contava com seis palcos nas seguintes locações: Forte de Copacabana, Morro da Urca, Cristo Redentor, Cidade das Artes, Sambódromo e Igreja da Penha, todos sem acesso ao público. As transmissões estavam previstas para serem transmitidas na TV e também na internet, no canal oficial da prefeitura.

 

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio (ABIH), Alfredo Lopes, disse que um fator muito importante para que a festa fosse cancelada foi devido ao recuo de patrocinadores, em razão dos casos do novo vírus terem aumentado.

 



Fonte: O São Gonçalo