Debates virtuais com artistas da Baixada mostram como eles sobreviveram às dificuldades impostas pela pandemia

0
9


Contemplados em três editais e com apresentações marcadas até janeiro deste ano, a Cia Cerne, companhia de teatro de São João de Meriti, viu as cortinas fecharem em março do ano passado, quando foi anunciada a pandemia da Covid-19. Os meses que seguiram foram os mais desafiadores para o grupo, fundado em 2013. Nesse período, a saída foi tentar driblar a crise.

— O setor cultural foi um dos primeiros a parar e, até hoje, não tem uma data de retorno ideal. Ao mesmo tempo, teve a reinvenção dos trabalhos, aprendemos a lidar com o formato on-line, uma série de outros produtos foram sendo realizados, pensando no virtual — afirmou Vinícius Baião, diretor e dramaturgo da Cia Cerne.

Os obstáculos enfrentados por profissionais da cultura e as estratégias utilizadas para driblar as dificuldades vão ser debatidos no projeto Dentro das redes. São encontros virtuais promovidos pela companhia Teatro Inominável, até dia 28 deste mês.

Entre as atividades on-line realizadas pela Cia Cerne, estão o projeto “Do jornal à cena” e o 2º Festival Cenáculo de Solos, que acontece nos dias 10 e 11 de abril. Ator e produtor da Cia Cerne, Leandro Fazolla destaca a importância do intercâmbio cultural promovido pelos encontros culturais durante a pandemia:

— Para o 2º Festival Cenáculo de Solos, começamos a receber inscrições de grupos que normalmente não se inscreviam porque não tinham como viajar até aqui. Então, a gente abre espaço para outros grupos conhecerem nosso trabalho e vice-versa.

Lino Rocca é diretor e fundador do Centro Experimental de Teatro e Arte (Ceta) e idealizador do Rede Baixada Em Cena
Lino Rocca é diretor e fundador do Centro Experimental de Teatro e Arte (Ceta) e idealizador do Rede Baixada Em Cena Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

Além da Cia Cerne, também representam a Baixada Fluminense no projeto o Grupo Código, de Japeri; Uivo Coletivo, de Paracambi; e o Centro Experimental de Teatro e Arte (Ceta), de Nova Iguaçu, cujo diretor e fundador é Lino Rocca, que se prepara para lançar dois filmes sobre a arte na região:

— Será um documentário sobre o teatro de Nova Iguaçu, desde a década de 70 até hoje, e outro sobre a Rede Baixada Em Cena, formada por 17 coletivos da Baixada, desde 2008. Também vamos fazer algumas oficinas on-line. Nesse período antes da Lei Aldir Blanc, foi um desastre. As pessoas ficaram sem nenhuma atividade de fonte de renda.

A atriz Laura Nielsen, no monólogo “Dentro”
A atriz Laura Nielsen, no monólogo “Dentro” Foto: Divulgação / Thaís Barros

Durante os dez dias de evento, será exibido o monólogo “Dentro”, no Youtube da companhia Teatro Inominável. Com dramaturgia de Diogo Liberano, direção de Natássia Vello, atuação de Laura Nielsen e produção de Clarissa Menezes, a peça conta o reencontro de cinco gerações de mulheres da mesma família.

Além da pandemia, o bate-papo do projeto Dentro das redes vai abordar temas que a peça explora, como ancestralidade e o lugar da mulher à luz de sua época.

Os convidados do bate-papo fazem parte da Frente Teatro RJ — rede integrada por 22 grupos de artes cênicas da Região Metropolitana do Rio.

— As lives vão tratar sobre temas que estão no espetáculo, como autonomia da mulher, ancestralidade, mas também estamos com muita vontade de ouvir a trajetória desses coletivos. Será um espaço de escuta, diálogo. A experiência que esses grupos carregam é imensa — ressaltou Laura Nielsen, uma dos produtoras do projeto e atriz da companhia de teatro Inominável.

Hoje, a live é com o Grupo Código. No dia 24, será é a vez do Centro Experimental de Teatro e Arte (CETA); no dia 25, com o Coletivo Sala Preta; e dia 27, com a Cia Cerne. A última live será no dia 28, com o Teatro Inominável.





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui