Cruz Vermelha de Nova Iguaçu recebe doações para Petrópolis; veja outros pontos de coleta na Baixada Fluminense

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Mais de 2 mil litros de água e quase 3 mil peças de roupas. Esse é o quantitativo de doações que a sede da Cruz Vermelha em Nova Iguaçu tem em estoque para enviar para Petrópolis. O volume de doações toma quase todos os espaços da sede. Desde a semana passada, a equipe de voluntários se divide em duas turmas, sendo quatro pessoas de manhã e quatro à tarde, para separar o material que será doado aos desabrigados do desastre que atingiu a cidade da Região Serrana.

A sede da Cruz Vermelha é um dos pontos de coleta e recebe os donativos de outras instituições como Brasil Sem Alergia, Top Shopping e Unig.

Uma das voluntárias que auxilia na separação do material que vai ser doado — é preciso distinguir as roupas por item e categoria, por exemplo — é a consultora de plano de saúde e estudante de psicologia Lucélia Ferreira, de 39 anos. Ela estava há meses em busca de um trabalho voluntário até ser convocada para auxiliar a Cruz Vermelha na organização dos donativos para Petrópolis. Nesta quarta-feira foi o primeiro dia de seu trabalho como voluntária.

— Acredito que essas doações são muito importantes, porque aquelas pessoas tinham tudo e agora não têm nada, se encontram em uma situação de desespero. Eu me colocando no lugar delas acho que estaria desesperada. Ter as minhas coisas e de repente me ver sem nada. Então, acho que tudo que chegar lá vai ser muito bem-vindo — diz a voluntária.

O volume de doações tem sido enorme, segundo os voluntários e o presidente da regional de Nova Iguaçu, Renato Muniz. Mas há demandas que ainda não foram suficientemente supridas. A campanha de arrecadação pede também material para entreter as crianças que estão nos abrigos e itens de higiene pessoal.

— Precisamos de produtos para crianças como biscoitos, revistinhas para elas poderem se distrair. Muitos deles perderam seus parentes e é uma maneira de amenizar o sofrimento. Nós temos recebido muita roupa, mas é problemático neste momento entregar roupa, porque já tem muita. Agora o que é mais importante para a gente são itens de higiene pessoal, água e material para as crianças — afirma Renato Muniz, que destaca também a necessidade de doação de máscaras e álcool em gel por causa da pandemia.

BX Rio de Janeiro (RJ)11/02/2022 Cruz Vermalha de Nova Iguaçu arrecada doações para desabrigado da tragédia de Petrópolis . Foto Domingos Peixoto / agência o Globo Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

Além de alimentos não perecíveis, cestas básicas e produtos de limpeza, a Cruz Vermelha também recolhe doação de ração para animais.

Voluntária desde novembro, a estudante de enfermagem da instituição, Alessandra Pereira, de 47 anos viu o volume de trabalho aumentar desde a semana passada:

— A rotina aqui é bem intensa. Acredito que a população está participando bastante (com as doações). Somos duas equipes (de voluntários). Para mim está sendo gratificante. A população de Petrópolis está precisando muito. A situação está bem crítica lá — diz.

Voluntária da instituição há três meses, a auxiliar administrativa Bárbara Fátima Rodrigues, de 49 anos, também está ajudando na triagem dos donativos. Ela separa as roupas por categoria.

— Acho que é o mínimo que eu posso fazer: dar um pouco de mim, uma vez que eles estão precisando tanto. Tem coisa (roupa) que a gente descarta, porque dar o melhor é importante também. O que eu não quero para mim, não quero para eles. É importante a gente selecionar mesmo diante de tanta necessidade — justifica ela, que atua como voluntária no tempo livre.

A Cruz Vermelha também precisa de materiais para embalar as doações como pallets, sacos plásticos, fitas adesivas e sacos de lixo grandes. A sede em Nova Iguaçu fica na Rua Coronel Bernardino de Melo, nº 2085, no centro da cidade.

Veja outros locais para entregar doações na Baixada Fluminense:

Nilópolis:

Quadra da Beija-Flor: Rua Pracinha Wallace Paes Leme, 1025.

Prefeitura: Paço Municipal – Rua Pedro Álvares Cabral, 305.

Parque do Gericinó: Rua Antônio João Mendonça, Nossa Senhora de Fátima.

Casa da Mulher Nilopolitana: Rua Antônio João Mendonça, 65, Centro.

Escolas municipais.

Duque de Caxias:

Quadra da Grande Rio: Rua Almirante Barroso, 5.

Projeto Brasil Sem Alergia: Rua Conde de Porto Alegre, 25 de Agosto.

Projeto Brasil Sem Alergia – Praça da Mantiqueira (Xerém).

Unigranrio: Rua Professor José de Souza Herdy, 1160, Jardim Vinte e Cinco de Agosto.

Uerj: Faculdade de Educação da Baixada Fluminense (FEBF) – R. General Manoel Rabelo, s/nº, Vila São Luís.

ONG Movimento Caxias – Rua Lauro Neiva, Centro.

Belford Roxo:

Quadra da Inocentes de Belford Roxo: Avenida Boulevard, São Vicente.

Magé:

Centros de Referência de Assistência Social, Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Magé) e ginásios poliesportivos.

Nova Iguaçu:

Top Shopping: Av. Gov.Roberto Silveira, 540. Centro

Unig: Av. Abílio Augusto Távora, 2134 – Luz.

Unigranrio: Av. Dr. Mario Guimarães, 894 – Centro.

Os terminais rodoviários de Nova Iguaçu e Nilópolis também são pontos de coleta de doações.





Fonte: G1