Covid-19: Itaboraí aplica dose reforço em jovens 12 a 17 anos



Adolescentes imunossuprimidos de 12 a 17 anos, incluindo gestantes e puérperas imunossuprimidas, devem receber uma dose adicional (DA) oito semanas após a segunda dose (D2) e uma dose de reforço (DR), quatro meses após a dose adicional (DA). A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) iniciou as mudanças no esquema vacinal deste grupo contra a Covid-19, a partir da nota técnica emitida pelo Ministério da Saúde.

Itaboraí conta com 32 polos de vacinação, com o horário de atendimento à população de 9h às 16h. Para se vacinar, é necessário que os adolescentes imunossuprimidos apresentem receita ou laudo que comprove a condição ou a medicação que esteja fazendo. Além do documento de identificação, cartão de vacinas, CPF ou cartão SUS.

Adolescentes gestantes ou puérperas, de 12 a 17 anos, que não sejam enquadradas como pacientes com imunossupressão, devem receber apenas a dose de reforço (DR) quatro meses após a segunda dose (D2). A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) ressalta que adolescentes que não se enquadram como pacientes com imunossupressão ou que não sejam gestantes ou puérperas ainda não devem receber a dose de reforço.

A diretora do Departamento de Imunobiológicos e Rede de Frio, Katiuscia Lessa, enfatiza que todas as vacinas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde no combate a Covid-19 possuem segurança e eficácia. “É importante que toda população vacinável tenha seu esquema vacinal completo, e isso inclui a dose de reforço”, disse.

De acordo com a 12ª edição do PNO, entende-se por pessoas com alto grau de imunossupressão: imunodeficiência primária grave; quimioterapia para câncer; transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras; pessoas vivendo com HIV/AIDS; uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias; uso de drogas modificadoras da resposta imune; auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias; pacientes em hemodiálise; e pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.



Fonte: O São Gonçalo