Campeões de votos na Baixada já pensam na disputa pela presidência das Câmaras, em janeiro

0
29


Na disputa pelo segundo mandato, o vereador Rafael Nobre (PTB) foi o parlamentar mais votado da Baixada Fluminense, proporcionalmente falando. Em números, foram 4.020 votos, mas em termos de percentual foi a mais expressiva votação já obtida por um vereador de Nilópolis em toda a história do município: quase 5% dos votos válidos. Empolgado com a vitória, ele se prepara agora para concorrer ao cargo de presidente da Câmara.

— Quero ser a renovação no comando da Câmara de Vereadores e me coloco à disposição para buscar a transformação do Legislativo nilopolitano — diz.

Serginho, eleito em Duque de Caxias
Serginho, eleito em Duque de Caxias Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

Numericamente, o empresário Sergio Alberto Correia da Rocha, 47 anos, o Serginho (MDB), foi o mais votado na região. Ele foi eleito em Duque de Caxias com 12.078 votos e poderá disputar a presidência da Câmara, caminho que também deverá ser feito por Felipe Rangel Garcia, mais conhecido na região como Filipinho Ravis, 32, – reeleito com 10.962 votos pelo Solidariedade –, atual presidente da Câmara de Nova Iguaçu, que está na mira de outros dois vereadores reeleitos, Maurício Moraes e Carlinhos BNH.

Davi Perini Vermelho, de São João de Meriti
Davi Perini Vermelho, de São João de Meriti Foto: Reprodução

Assim como Filipinho Ravis, que vai tentar manter-se na presidência, Davi Perini Vermelho (MDB) não esconde a vontade de comandar a Câmara por mais um período. Empresário com 47 anos, Didê foi reeleito com 5.050 votos em São João de Meriti e quer continuar presidente para prosseguir com as mudanças iniciadas na administração na Casa, enquanto Fabinho Varandão, de 44, eleito no MDB de Belford Roxo com 3.789 votos ainda não sabe se vai disputar a eleição da presidência da Câmara.

Filipinho Ravis, eleito em Nova Iguaçu
Filipinho Ravis, eleito em Nova Iguaçu Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

Surpresa em Nova Iguaçu

Em Nova Iguaçu, o resultado das urnas revelaram uma grande surpresa. Os números foram considerados altos por se tratar de um estreante. Ele próprio demorou para acreditar no que via. Eduardo Reina Gomes de Oliveira (PDT), apresentado nas urnas como Dudu Reina, disputou sua primeira eleição de vereador e achava que teria, no máximo, “uns quatro mil votos”. Foram 8.167 e ele ficou entre os três mais votados, batido apenas pelos “veteranos” Filipinho Ravis e Vaguinho Neguinho (Patriotal).

– Posso ser visto mesmo como a grande surpresa das urnas em Nova Iguaçu, mas não conquistei isso sozinho. Fiz parte da equipe de trabalho do prefeito Rogério Lisboa, a quem agradeço por todo o apoio recebido. Também trabalhei como assessor dele na Alerj e agora fui abençoado com essa votação toda, número que traduz a confiança do povo – afirma Dudu.





Fonte: G1