Cambistas atuam em frente ao BioParque do Rio, na Quinta da Boa Vista

0
33


Inaugurado em março após dois anos de obras que reduziram as grades e ampliaram os recintos dos animais, o novo zoológico do Rio, na Quinta da Boa Vista, tem esgotado rapidamente seus bilhetes. Mas não são só os visitantes que têm se interessado em adquirir os ingressos vendidos no site do BioParque do Rio a R$ 40 a inteira e R$ 20 a meia-entrada. Um grupo de cambistas, que compra com antecedência boa parte das entradas, principalmente para o fim de semana, tem agido diariamente em frente ao local. No início da semana, por exemplo, já não havia ingressos para hoje nem para amanhã. Aproveitando-se da alta demanda para visitação nesses dias, o grupo chega a revendê-los por até R$ 50.

Homens oferecem venda ingresso do BioParque do Rio a visitante
Homens oferecem venda ingresso do BioParque do Rio a visitante Foto: Gabriel de Paiva / Extra

Na última quinta-feira, o EXTRA flagrou no local três homens vendendo os tíquetes. Ao desembarcar em frente ao BioParque, a equipe foi imediatamente abordada por um deles. O homem, que se identificou como Valmir, agia sem nenhuma discrição, mesmo diante de guardas municipais: “Ingresso? Comigo é mais barato!” Em seguida, explicou que, para dias de semana, vendia as entradas por R$ 30, sem informar se era inteira ou meia, já que o bilhete é identificado por QR Code. Já a entrada para o sábado seguinte (hoje), faria por R$ 50. No site do BioParque, o valor é igual para qualquer dia da semana.

Homem tenta abordar família para revender ingresso do BioParque
Homem tenta abordar família para revender ingresso do BioParque Foto: Gabriel de Paiva / Extra

“Como a procura é maior e fica mais difícil de conseguir (o bilhete), eu faço para você por R$ 50 para esse sábado”, disse o cambista, que rechaçou a possibilidade de o comprador ser barrado, sem informar se os bilhetes revendidos por ele eram meia-entrada, inteira ou gratuidade. Outro cambista disse a uma família que aceitava pagamento por PIX, dinheiro ou cartão.

O estudante Luís Amorim, de 27 anos, morador da região, conta que, desde a inauguração do parque, ele e a namorada têm vontade de conhecê-lo, mas, toda vez que tentam adquirir os bilhetes para o fim de semana, já estão esgotados:

— Eles (os cambistas) estão sempre aí. São eles que compram tudo para ficar revendendo por aqui todo dia. É péssimo, porque eu moro aqui e nunca consegui ir. Nunca tem ingresso para o fim de semana mais próximo, você tem que se programar com muita antecedência.

O cambismo, ou seja, vender ingressos acima do valor oficial, é crime contra a economia popular, previsto na Lei 1.521/51, e tem pena de detenção de seis meses até dois anos.

Os homens flagrados pelo EXTRA abordavam principalmente famílias em frente à entrada do parque e na calçada lateral, que também dá acesso ao zoológico. A reportagem flagrou o momento em que um deles vendia e entregava o que pareciam ser os bilhetes com os códigos. Um deles chegou a acompanhar visitantes até o portão de acesso e voltou sozinho em seguida. A equipe também flagrou quando um dos vendedores ilegais entregou notas de dinheiro ao homem que se identificou como Valmir. Guardas municipais que estavam em frente a eles, inclusive com uma viatura da corporação, nada fizeram.

Segundo a administradora do zoo, por conta da pandemia, a venda oficial de ingressos é feita apenas on-line para evitar aglomerações. Sobre a ação de cambistas, o BioParque afirmou, em nota, que “possui canais oficiais de venda de ingressos e está sempre reforçando, através de diferentes mídias, a recomendação para efetuar a compra segura através destes meios”.

Entradas esgotadas no canal oficial

Nas redes sociais, pessoas relatam frustração ao tentar adquirir bilhetes para conhecer o BioParque aos fins de semana. “Fui comprar o ingresso para o BioParque para sábado e já não tinha mais, tô arrasada”, desabafou uma internauta ainda na quarta-feira, dia 7. Dois dias antes, outra interessada em conhecer o zoo lamentou: “Tô há 1 mês tentando comprar ingresso pro BioParque e não consigo, já está lotado há 3 finais de semana”. No último dia 1º, uma outra disparou: “Fico p*, toda vez que vou comprar o bendito do ingresso pra ir no BioParque nunca tem vaga!!! Que inferno!!!!”

Há queixas até nos perfis oficiais do Parque. Uma publicação, feita há duas semanas, chama atenção: “Colocam vendas exclusivas pela internet, daí na net (internet) tudo esgotado. Pra chegar na Quinta (da Boa Vista) ter 30 cambistas! Uma vergonha! Patético! Volte ao tradicional, de bilheteria pra não prejudicarem os reais visitantes. Isso é uma vergonha!”, escreveu um homem num dos posts da página do BioParque. Outro, então, respondeu: “Olha, já vi gente aqui dizendo até que já conseguiu comprar lá na hora”. E ele respondeu: “Com cambistas, né? tem vários lá, parece até o Maracanã. Fui lá hoje e bilheteria fechada”.

Procurada, a Guarda Municipal informou que agentes atuam no Quinta da Boa Vista e no entorno do BioParque em ações de ordenamento urbano. Sobre a ação dos cambistas na frente dos agentes, a corporação pediu dados para formalizar uma denúncia na corregedoria do órgão.





Fonte: G1