Café da manhã é aposta de bares e restaurantes durante semana de novas medidas no Rio contra a Covid-19

0
17


´Com o objetivo de tentar reduzir aglomerações e conter o avanço do coronavírus no Rio, na última quinta-feira, dia 4, foi publicado no Diário Oficial o decreto que restringe o horário de funcionamento de bares e restaurantes das 6h às 17h e a limitação a 40% da capacidade. Uma liminar concedida pela Justiça na sexta-feira chegou a permitir que os estabelecimentos funcionassem até às 20h, mas acabou caindo por terra no sábado, quando o presidente do Tribunal de Justiça cassou a liminar. Preocupados com esse súbito abre-e-fecha, donos e sócios de bares e restaurantes tentam se reinventar e, no meio das estratégias, adotar mais as manhãs como uma opção de suprir o prejuízo.

LEIA TAMBÉM: Segunda noite de restrições no Rio teve restaurantes interditados, chuva e ruas vazias

Na Zona Portuária, a Casa Porto, que iniciava as atividades às 11h, neste sábado, decidiu abrir às 9h e, pela primeira vez, aditivar o cardápio com um brunch regado a mimosa (prosecco com suco de laranja) e cuscuz. Como o bar e restaurante está utilizando o espaço externo do Largo São Francisco da Prainha para manter o distanciamento social que o protocolo da pandemia pede, o movimento foi bem satisfatório, com todas as mesas ocupadas.

— Foi uma aventura nova e fez sucesso total. Nós voltamos a abrir em agosto e desde então, não tivemos sequer um caso de covid — disse Julio Barroso, gerente da casa.

O Porco Amigo Bar, em Botafogo, ampliou o horário de delivery para 23h e logo em seguida usou suas redes sociais para anunciar que neste fim de semana o estabelecimento abriria mais cedo, das 8h às 11h, para o café da manhã. Quem chegasse até as 9h ganhava ainda uma dose de cachaça premiada. Entre as opções do menu, torresmo, bacon, café, pão, ovos, bolo, suco, pão de queijo, iogurte e frutas. Os valores dos três pacotes variam de R$ 24 a R$ 45.

— Decidimos na quinta-feira que iríamos oferecer o café da manhã neste fim de semana e fechamos o cardápio na sexta-feira. A repercussão entre os clientes foi excelente e nos deu esperança. Estamos investindo mais no delivery e menos no presencial neste momento. É importante estar sempre se reinventando e somos conhecidos por isso — destaca o sócio Eduardo Gomes.

Em Botafogo, o Porco Amigo Bar dá uma dose de cachaça premiada para quem chega até as 9h para o café da manhã
Em Botafogo, o Porco Amigo Bar dá uma dose de cachaça premiada para quem chega até as 9h para o café da manhã Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Também em Botafogo, o Meza Bar, um dos points da noite no “Baixo Humaitá”, a saída que a chef Andressa Cabral encontrou foi fazer kits de três ou cinco drinques com petiscos, além de incluir receitas novas e interpretações de sucessos antigos da casa.

— Não resolve nada no sentido financeiro, uma vez que uma mudança de uma hora para a outra demora pra reverberar e nossos clientes já estão acostumados a vir aqui à noite. O único ponto positivo é que os que amam muito a marca e sentem falta da gente, podem matar um pouquinho da saudade — diz a chef.

Na Curadoria, na Barra da Tijuca, foi realizado um brunch neste fim de semana. A sócia Daiana Rocha conta que eles sempre quiseram abrir a casa para os clientes mais cedo e decidiram na quinta-feira tirar o plano do papel. A casa abriu às 10h para o café da manhã.

— Nosso horário começa a partir das 12h e ficamos receosos do decreto afetar nosso negócio. Fechamos o cardápio, criamos novos drinques, treinamos a equipe. É um teste e se der certo faremos no próximo fim de semana novamente. O que também nos motivou foi criar algo novo para animar a nossa equipe. A ideia é fazer um movimento de sobrevivência — explica.

No entanto, Daiana não vê o decreto com olhos negativos, ela acredita que todos precisam fazer a sua parte para conter o avanço do coronavírus. No ano passado, quando a pandemia teve início, a casa passou a oferecer almoço e investiu na implementação de seu delivery.

O investidor Luiz Faria foi um dos primeiros a chegar para o brunch da curadoria acompanhado de sua família.

— Gostamos muito deles porque estão sempre inovando. Ficamos curiosos e achamos maravilhosa essa iniciativa. As pessoas precisam se reinventar, ainda mais neste momento — afirma.

Localizado em Benfica e com mais de 70 anos de tradição, o Velho Adonis vai oferecer neste domingo o seu primeiro café da manhã, das 7h às 11h, na base de ovos mexidos, sanduíches e outros quitutes nada light. Há quase um ano, a casa que é Patrimônio Cultural Carioca desde 2012 já havia se adaptado à pandemia, quando passou, pela primeira vez, a investir no delivery.

— Desde o ano passado, o nosso negócio ainda está tentando se recuperar. Com esse decreto, essa foi a forma que encontramos de salvar nossos funcionários e nosso estabelecimento. Estamos com fé de que vai ser um sucesso — diz o gerente da casa, Welington Silva.





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui