Bares tradicionais do Rio ganham ajuda de cervejaria para manter portas abertas na pandemia da Covid-19

0
36


A pandemia de Covid-19 provocou o fechamento de muitos bares e restaurantes do Rio de Janeiro. Sem a fiel clientela por causa das novas regras e medidas restritivas, os custos ficaram altos, funcionários foram demitidos e portas foram fechadas. Quatro bares tradicionais da capital fluminense passaram por essa situação, mas encontraram um sopro de esperança através do projeto de uma cervejaria. Depois de mapear os estabelecimentos e identificar as necessidades de cada um, o Grupo Petrópolis criou o #GPComVC, na qual investiu R$ 40 milhões para resgatar os bares e dar-lhes a chance de retomar e manter a história com seus consumidores. Um por cento desse valor foi investido só no Baródromo, local que se consagrou por ser temático às escolas de samba.

Além dele, Os Imortais, em Copacabana, Beco do Rato, na Lapa, e Itahy, no Recreio, além de outros 10 mil estabelecimentos no estado do Rio ganharam uma ajuda dentro do projeto. Todos se mantêm abertos e em funcionamento, muito por conta dessa ajuda financeira. Em setembro do ano passado, o Baródromo lançou uma campanha para arrecadar fundos, via crowdfunding, para levantar recursos para abrir em um novo endereço. Depois de iniciar os trabalhos na Praça Onze, em 2015 e se aventurar na boêmia Lapa, a nova casa agora é na Praça Niterói, na Tijuca, Zona Norte da capital. A arrecadação online gerou apenas R$50 mil, doados por frequentadores e amigos.

Nova fachada e localização do Baródromo, agora na Tijuca, na Zona Norte do Rio
Nova fachada e localização do Baródromo, agora na Tijuca, na Zona Norte do Rio Foto: Divulgação

O projeto #GPComVC investiu um montante de R$400 mil no estabelecimento, sendo uma aplicação de R$150 mil de forma imediata e um cronograma de injeções financeiras que estará ativo durante os três próximos anos. Desse dinheiro, foram feitas reformas de estrutura interna e da fachada e uma passarela do samba foi montada dentro do bar. Também foram feitos novos cardápios foram confeccionados, a compra de equipamentos de proteção em acrílico para distanciamento e digitalização dos processos, além da quitação de impostos, pagamento de aluguel e dos funcionários.

— Com a pandemia e a possibilidade da Lapa cair numa situação econômica muito ruim, decidimos encerrar nosso contrato de aluguel e esperar um novo cenário para reabrir a casa. Foi quando o GP nos procurou para a parceria — diz Felipe Trotta, dono do Baródromo.

Um painel da famosa passarela do samba, localizada na Sapucaí do Rio, foi recriado no Baródromo
Um painel da famosa passarela do samba, localizada na Sapucaí do Rio, foi recriado no Baródromo Foto: Divulgação

Salvação em meio ao medo da Covid-19

Assim como no caso do Baródromo, o bar Os Imortais, em Copacabana, na Zona Sul, estava perto de encerrar as atividades. Aberto em 2012, o local foi erguido após um sonho de infância dos primos Rômulo Torres e Fernando Martins, que são sócios do bar que é frequentado por personalidades como Neguinho da Beija-Flor e o humorista Alexandre Régis. A crise financeira causada pela pandemia do Coronavírus no Brasil, que se iniciou em março de 2020, ainda deixa os empresários apreensivos e sem um direcionamento de como manter seus negócios.

No ano passado, os empresários buscaram empréstimo no Programa de Apoio às Empresas de Porte Pequeno (Pronampe). No entanto, o bar teve problemas para acessar o crédito. Torres chegou a receber a carta de pré-aprovação da Receita Federal dando sinal verde para pegar o empréstimo, mas o banco recusou sua solicitação.

Em julho de 2020, eles voltaram a pagar um aluguel integral e reabriram as portas mesmo sem caixa. Com a ajuda do projeto, os donos do estabelecimento conseguiram quitar folha de pagamento.

— Estamos amedrontados com o número de mortes e tudo o que está acontecendo, além da falta de apoio do poder público. Ainda bem que tem empresas, como o Grupo Petrópolis, nos dando apoio e ajudando de várias formas e entendendo a nossa real situação. Isso nos salva. A nossa perspectiva de futuro é que a gente possa continuar vivo nesse momento tão difícil para o comércio e para todo mundo — afirma Rômulo Torres.

Rômulo Torres Pereira, dono do bar Os Imortais, em Copacabana, teve empréstimo recusado pelo Pronampe
Rômulo Torres Pereira, dono do bar Os Imortais, em Copacabana, teve empréstimo recusado pelo Pronampe Foto: Luiza Moraes / O Globo – 15.07.2020

Outro tradicional botequim carioca que sobrevive com o auxílio do projeto é o Itahy Recreio, na Zona Oeste do Rio. O bar foi inaugurado em 2014, mesmo ano que aconteceu a Copa do Mundo no Brasil, e teve o nome inspirado em um antigo restaurante fundado no Rio de Janeiro em 1951. Mas com a pandemia, a clientela diminuiu muito e o local foi obrigado a suspender as atividades, devido a falta de recursos para bancar os custos e seus funcionários.

— O GP nos apoiou na retomada após alguns meses de suspensão das nossas atividades. Recebemos auxílio com bonificações, ações promocionais e com a ajuda de custo de uma folha de pagamento de nossos funcionários. O programa foi, sem dúvida, um apoio inestimável num momento tão complexo e desafiador — diz o dono, Rodrigo Pereira.

Ações por todo o Brasil

As ações do projeto do Grupo Petrópolis já ajudaram mais de 40 mil bares, restaurantes e botequins por todo o Brasil. Segundo a empresa, a ideia básica é auxiliar os parceiros que estão enfrentando os efeitos da pandemia. Um exemplo são as 500 baianas de Acarajé de Salvador e região, que são consideradas um patrimônio imaterial do Brasil.

Até o momento, segundo a head de Marketing do GP, Eliana Cassandre, os investimentos em ações e benefícios que somam um montante de R$ 40 milhões para a recuperação do setor.

— Nosso propósito, desde a criação do programa, foi levar esperança, auxílio e apoio aos nossos parceiros espalhados pelo Brasil. Não são apenas 40 mil bares. Isso representa muitas famílias brasileiras que renovaram a esperança — diz Eliana.

Camisas de escolas de samba estão espalhadas pelas paredes do Baródromo
Camisas de escolas de samba estão espalhadas pelas paredes do Baródromo Foto: Divulgação





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui