Atleta de 14 anos atinge meta, arrecada mais de R$ 2 mil em 48 horas e vai disputar torneio Mundial

0
16


O adolescente Fellype Leonardo da Silva Gomes, de 14 anos, precisou de apenas 48 anos para fazer o seu sonho virar realidade. O atleta de jiu-jítsu começou vender doces junto com suas seis medalhas e uma plaquinha no pescoço com a frase “ajude um atleta a ser campeão mundial por apenas R$ 1″em Del Castilho, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Ele precisava de R$ 1.500 para disputar um mundial infantojuvenil de jiu-jítsu, que vai acontecer em São Lourenço, no interior de Minas Gerais, entre os dias 11 e 13 de dezembro. Depois que sua história foi contada e viralizada nas redes sociais, ele conseguiu atingir a meta: já são mais de R$ 2 mil na conta bancária da mãe, Keila Borges, de 32 anos.

— Estou muito feliz. Eu consegui atingir a minha meta por volta das 19h desta quarta-feira. Estou muito feliz. Muita gente ligou e ofereceu ajuda, passamos a conta bancária da minha mãe e, quando ela foi conferir, já tinha mais de R$ 2 mil. Vou treinar muito para conseguir trazer o ouro. Ontem, nem consegui sair para vender os doces porque fiquei respondendo as pessoas e fazendo outras reportagens. Mas vou continuar vendendo os doces e, toda a ajuda que vier a mais, vou investir em campeonatos futuros e continuar— diz Fellype.

Leia Mais: Dono de conversível de ‘barraco’ no Leblon registra caso na delegacia do bairro

A família nunca imaginou que tudo iria se concretizar tão rápido. Agora, o adolescente vai conseguir bancar a inscrição na competição, as passagens de ônibus, hospedagem e alimentação para ele e sua mãe viajarem a Minas Gerais. O objetivo era conseguir os R$ 1.500 estipulados até o fim de novembro de 2020, mas a solidariedade tornou tudo possível muito anos do esperado.

— Foram só dois dias. Estamos muito felizes e agradecendo cada pessoa que contribuiu. Foram ligações, mensagens de celular e pelo Instagram do Fellype. Não sabemos como agradecer todo carinho e apoio. Foi tudo tão rápido. Mas ele vai continuar vendendo os docinhos com a plaquinha porque agora vamos investir nele e na preparação do campeonato — diz a mãe.

Veja Também: Dono de conversível do ‘barraco do Leblon’ sorteia passeio de lancha em rede social

Fellype Gomes, de 14 anos, com as medalhas. os docinhos e a plaquinha explicando seu sonho
Fellype Gomes, de 14 anos, com as medalhas. os docinhos e a plaquinha explicando seu sonho Foto: Arquivo Pessoal

Investimento no treinamento

O garoto começou a praticar o esporte há três anos. A ideia de vender algo e arrecadar dinheiro veio do professor de Fellype, que sugeriu que ele comercializasse água na rua junto com uma plaquinha para explicar a situação. No entanto, o adolescente resolveu utilizar os docinhos, que já vende com a mãe há dois meses, para pedir ajuda e alcançar o seu sonho. Agora, todo o dinheiro que entrar será investido na preparação para o Campeonato Mundial e outras competições.

— O professor dele vai levar ele numa nutricionista para ela passar suplementação, ver a questão da alimentação e tudo que ele precisa para esse campeonato. Então, vamos ter um gasto e vamos investir para ele estar preparado e lutar bem. A partir de agora, ele vai treinar mais, de três a quatro vezes por dia. Ele precisa estar bem fisicamente e com energia, né, para lutar bem. Então teremos muitos gastos — diz Keila.

Fellype Gomes com uma das suas três medalhas de ouro conquistada em torneio de jiu-jítsu
Fellype Gomes com uma das suas três medalhas de ouro conquistada em torneio de jiu-jítsu Foto: Reprodução / Instagram

Fellype vai continuar as vendas diárias, de segunda a sábado, que são feitas na porta do NorteShopping, do Nova América ou na área conhecida como guarda. O atleta ostenta com orgulho as três medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze que já conseguiu nas sete competições que já disputou. Ele as leva para o trabalho diário, mas em sua página no Instagram ostenta com felicidade suas conquistas.

— Fui apresentado ao jiu-jítsu aos 12 anos, por um amigo, em um projeto social aqui mesmo em Del Castilho. Eu adorei e não parei mais de treinar. Já são três anos no esporte e já participei de sete torneios. Quero muito ir para o Mundial. Sonho em ser uma atleta e me inspiro muito no Rafael Mendes (hexacampeão mundial de jiu-jítsu) — afirma o garoto, que sai sempre de máscara de proteção e luvas.

Mãe nunca o viu competir

Além de realizar o sonho de participar de um torneio Mundial, Fellype ainda pode dar uma alegria para mãe. Keila Gomes nunca teve a oportunidade de ver o filho mais velho em ação. Por causa das despesas, a família sempre conseguiu o suficiente para bancar as incrições do adolescente e despesas de transporte que ele necessitava. Agora, pode ser a chance de ela ver o garoto mostrando sua habilidade no esporte, apesar de sempre ter tido medo de vê-lo se machucando.

— Vai ser um sonho realizado se isso acontecer. O Fellype é um medido dedicado, esforçado e que corre atrás daquilo que ele quer. Ele almeja ser um campeão no esporte e a gente apoia ele. No começo, eu ficava muito preocupada porque ele se machuca muito, mas fui acostumando e entendendo. Eu até brinco que ele vai ficar conhecido no hospital de ossos de tanto que ele se machuca (risos) — brinca a mãe.

Auxiliar de serviços gerais, Keila, que ainda tem uma filha de 11 e outra de 4 anos, está desempregada por causa da pandemia de Covid-19. O marido ainda está empregado, mas por morarem e aluguel e numa família com cinco pessoas, ela resolveu vender os doces com a ajuda de Fellype.

Se você quiser ajudar Fellype Gomes a realizar seu sonhos, basta entrar em contato pelos telefones (21) 975758822 e 99060.6883. Também podem enviar mensagens pelo Instagram do menino (VEJA AQUI).





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui