Após reportagem de OSG, gonçalense consegue cirurgia para trocar prótese infeccionada

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Após esperar por dois anos, finalmente a tristeza deu lugar à alegria e autônomo Aloisio Santiago da Fonseca, de 47 anos, pôde voltar a sorrir. O alívio chegou junto com a cirurgia para troca de uma prótese ortopédica.

A luta de Aloisio começou em 2019, quando ele sofreu um acidente de bicicleta, no qual teve uma parte do osso fêmur da perna esquerda quebrado. Foi colocada uma prótese no lugar que, após alguns meses, passou a dar problemas, pois uma bactéria se alojou nela. Aloisio foi piorando, piorando e esperando que o Hospital Estadual de Ortopedia e Traumatologia Dona Lindu, em Limoeiro, Paraíba do Sul, agendasse uma nova cirurgia para a troca de prótese dele, o que só ocorreu após uma matéria do O SAO GONÇALO. Aloisio operou na última quinta-feira (24) e agora espera conseguir voltar a levar uma vida fora da cama.

A dor causada pela bactéria alojada na prótese da perna dele era tanta que Aloisio não conseguia ir no banheiro, andar até o seu trabalho e nem brincar com suas filhas. Depois de uma reportagem relatando que ele estava há dois anos esperando a cirurgia de troca de prótese e não conseguia uma resposta do hospital, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informou que marcaria uma consulta para ele na semana seguinte, e assim foi feito.

“Uma menina do hospital me ligou e perguntou se poderia marcar uma consulta já para a próxima segunda-feira, que era dia 21 de fevereiro. Vocês vieram aqui e falaram com eles no dia 16 de fevereiro. Eu falei que poderia e fui lá, cheguei no hospital às 8h da manhã da segunda-feira. Eu passei mal lá, quase desmaiei, porque ainda precisei andar uma parte do caminho com andador e a dor era tanta que me fez mal. Cheguei lá, o médico me atendeu, pediu um raio-x e, durante o exame, eu gritava de dor quando eles mexiam na prótese. Após o resultado, o médico viu que precisava me internar naquele dia mesmo e assim fez. Marcaram a cirurgia então para a quinta-feira seguinte, que foi no dia 24, e agora estou me recuperando, tomando remédios e antibióticos aqui no hospital. Ainda estou internado, mas posso ter alta já na semana que vem. O importante é conseguir melhorar da situação em que eu estava”, afirmou ele.

 



O raio-x dele indicava uma infecção na perna que tinha a prótese antiga



O raio-x dele indicava uma infecção na perna que tinha a prótese antiga | Foto: Filipe Aguiar





 

Hoje, o autônomo conta que não sente mais dores fortes como antes no local da prótese. “Hoje, por exemplo, eu já consegui tomar banho. Claro que ainda sinto a dor da cirurgia repuxando, mas aquela dor forte de antes, graças a Deus, não estou sentindo mais. Eles tiraram a prótese que estava com a bactéria e colocaram uma nova. Agora, espero que isso resolva e que aos poucos eu consiga voltar a trabalhar, a brincar com minhas filhas e fazer as atividades que eu fazia”, disse.

Aloisio agradeceu ao OSG pela cirurgia. “Eu agradeço a força de vocês. Se não fosse vocês, eu ainda estaria em casa sofrendo, agradeço demais, que vocês fiquem com Deus. Eu estou contente com essa situação. Se não fosse o jornal, eu estaria em casa ainda sentindo dores”, afirmou ele. 

Relembrando – O acidente de Aloisio ocorreu em 2019, quando ele treinava com amigos ciclistas para uma competição. Ele estavam andando de bicicleta na BR-101, quando houve um arrastão e um carro que estava na frente deles foi parado. Quando o veículo parou, os ciclistas do grupo de Aloisio, incluindo ele, que vinham atrás na rodovia, acabaram colidindo com este carro, pois estavam em alta velocidade. Aloisio acabou voando pelos ares após o impacto de uma bicicleta de um de seu colegas bater em sua traseira. Quando Aloisio caiu, sentiu as dores que indicavam que o fêmur estava quebrado. Ele fez a cirurgia no Hospital Estadual de Ortopedia e Traumatologia Dona Lindu ainda em 2019, mas no final do mesmo ano ele começou a sentir dores, logo depois começou a sair uma secreção do local. Falaram, já em 2020, que ele teria que trocar a prótese por causa de uma infecção bacteriana, no entanto, não marcaram uma data para a nova cirurgia dele. A situação já durava dois anos quando ele resolveu contar sua história ao OSG

   


Ele viveu dois anos praticamente na cama



Ele viveu dois anos praticamente na cama | Foto: Filipe Aguiar




  



Fonte: O São Gonçalo