5% dos vacinados no município do Rio não voltaram aos postos para tomar segunda dose

0
14


O secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, afirmou nesta sexta-feira, que os 5% dos imunizados com a primeira dose não voltaram aos postos na data marcada para a segunda aplicação. Durante a coletiva do 15º boletim epidemiológico da cidade, ele destacou a importância de seguir o cronograma para que a população esteja de fato protegida. O nível máximo de eficiência das imunizantes somente é atingido após as duas doses. A Secretaria municipal de Saúde do Rio espera receber nas próximas horas vacinas da Covid-19 para continuar o calendário de vacinação. O secretário destacou, ainda, que 80% das pessoas com mais de 60 anos já foram imunizados. A expectativa é de que todos os idosos sejam vacinados até o fim deste mês.

— Fica o nosso pedido para que as pessoas não deixem de vacinar com a segunda dose. A gente tem quase 5% das pessoas que não voltaram às unidades de saúde na data correta para se vacinar com a segunda dose. A segunda dose é fundamental para o processo de imunogenicidade, as pessoas só ficam imunes à Covid-19, aos casos graves e ao óbito da Covid-19 14 dias após tomarem a segunda dose da vacina CoronaVac e 14 dias após a segunda dose da AstraZeneca — destacou o secretário.

Covid-19: Aumentam internações de pessoas com menos de 60 anos no Rio, diz secretário de Saúde

O alerta foi feito durante entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira no Centro de Operações Rio (COR) para divulgação do boletim epidemiológico, que colocou novamente todo o Rio na classificação de risco alto para Covid-19. A participação do prefeito Eduardo Paes estava prevista por meio de conferência, após ser diagnosticado com coronavírus. Paes não compareceu remotamente, e Soranz disse que seu estado de saúde “é estável e se encontra bem”. O secretário não quis dizer se outros familiares do prefeito também foram contagiados pelo vírus.

Na quarta-feira, foram recebidas doses de imunizante da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Neste momento, só há disponível esta vacina para o público que receberá a primeira dose nesta sexta-feira e nos próximos dias.

As pessoas que receberam a primeira dose da CoronaVac devem comparecer aos postos nas datas marcadas no cartão, uma vez que a segunda parte do imunizante segue reservada.

Covid-19: Medidas restritivas são prorrogadas pela Prefeitura do Rio

Segundo dados do município, mais de 1,1 milhão de pessoas recebeu a primeira dose de algum dos dois imunizantes disponíveis na cidade.

— Para continuar a imunização das pessoas que vão tomar a segunda dose, a gente tem a vacina CoronaVac reservada. Nesse momento, na cidade do Rio de Janeiro, para a primeira dose, a gente só tem a vacina da AstraZeneca, que é bastante importante. A gente recomenda que as pessoas não deixem de vacinar, que todos procurem as unidades — afirmou Soranz.

Segundo Soranz, o Ministério da Saúde e a Secretaria estadual de Saúde vão fazer uma campanha para que essas pessoas retornem à vacinação:

— A gente tem um cadastro e o Ministério da Saúde vai começar uma campanha para que as pessoas venham tomar a segunda dose. E se a gente perceber que esse número está aumentando demais, seremos obrigados a fazer uma busca ativa.

Ao passar os dados do boletim, o secretário afirmou ainda que os casos de Covid-19 dentro de asilos e instituições de longa permanência caíram 80% na cidade do Rio por causa da campanha de vacinação em idosos. Segundo o relatório, em janeiro foram registrados 41 casos. No mês seguinte, 21 pessoas foram contaminadas. Já no mês de março foram apenas 8 ocorrências.

LEIA TAMBÉM: Prefeitura não anuncia abertura de novas escolas municipais há um mês

Calendário de vacinação

Soranz disse que “o município está no limite” do imunizante contra a Covid-19. Para continuar com o cronograma, que, nesta sexta-feira atende a homens de 62 anos e no sábado tem repescagem, o município conta com a entrega de vacina da Oxford/AstraZeneca pela Fiocruz. A expectativa é de 90% dos idosos com mais de 60 anos sejam imunizados até o dia 26 de abril.

— Estamos vacinando 30 mil doses por dia. Nesta sexta-feira, a expectativa é receber 90 mil doses da Fundação Oswaldo Cruz. Esse material iria para o estado. Se o Ministério da Saúde mantiver a logística, vamos conseguir suprir as necessidades.

A Prefeitura espera receber 600 mil pessoas para a vacinação da segunda dose até o fim do mês. Para esse público, as vacinas seguem reservadas.

VEJA: Maioria dos pacientes de Covid internados em UTIs do RJ não tem sobrevivido, apontam dados do Ministério da Saúde

Números da Covid-19

Apesar de os dados mostrarem queda no número de busca por atendimento na cidade, o município segue classificado com risco muito alto. A quantidade de casos reportados segue em alta, em especial de pessoas com menos de 60 anos, o que fez com as medidas restritivas fossem prorrogadas por mais uma semana, até 27 de abril, conforme decreto publicado no Diário Oficial nesta sexta-feira. Nesta manhã, 1.420 pessoas estavam internadas com Covid-19 na cidade. Outras 52 estão na fila de espera por algum leito.

— Estamos mantendo o padrão de redução de internação hospitalar e da procura para atendimento. Mas temos 1.420 pacientes internados e amanhecemos hoje com 52 pacientes esperando regulação. Esperamos que essa queda resulte na queda de óbitos.

Na quarta-feira, foi liberada a prática de atividades coletivas em praças, áreas públicas, praias e ruas desde que não gerem aglomerações. Práticas como banho de sol na areia, no entanto, continuam proibidas. As demais medidas, como o horário de funcionamento do comércio, permanecem as mesmas. A atividade de ambulantes na praia também continua suspensa.

— Não achamos prudente reduzir a flexibilização e resolvemos manter essa medida restritiva por mais uma semana — disse Soranz, que voltou a pedir que as pessoas evitem circular quando não houver necessidade:

— Pedimos que as pessoas colaborem. Estamos percebendo a redução da circulação. Estamos com um nível de transmissão alta. Temos uma nova variante circulando, a P1 (proveniente de Manaus), que foi notada em 80% dos casos que deram entrada nas unidades do município nos últimos dias.

A prática de atividades físicas coletivas em locais abertos e sem aglomeração foi liberada pela Prefeitura do Rio
A prática de atividades físicas coletivas em locais abertos e sem aglomeração foi liberada pela Prefeitura do Rio Foto: Hermes de Paula em 15-4-2021 / Agência O Globo

Sobre a falta de kit intubação, ele lembrou que a cidade tem baixo estoque. O repasse é feito pelo Ministério da Saúde.

— Esse kit tem sedativos e bloqueadores neuromusculares. Esses dois componentes são importantes para manter o processo de intubação. Nenhum hospital público ou privado pode ter um estoque de mais de três dias. Um hospital tem trocado com o outro para que não acabe. O ministro da Saúde informou ontem que tem previsão de receber esses kits esta semana. Hoje recebemos mais medicamentos do kit, além de sedativos.

Na última quarta-feira, o secretário municipal de Fazenda, Pedro Paulo, anunciou que vendedores ambulantes de pontos fixos e barraqueiros da orla do Rio vão receber uma parcela extra do Auxílio Carioca — programa de auxílio emergencial da prefeitura —, no valor de R$ 500.

Novo posto de vacinação na Central

No início desta manhã o secretário inaugurou com o Exército um novo posto de vacinação. O espaço passa a funcionar no Quartel do Palácio Duque de Caxias, na Central do Brasil. Esse é o terceiro posto que o município abre em parceria com o Exército. Os outros estão na Vila Militar, em Deodoro, inaugurado no dia 9 de abril para atendimento a pedestres e no sistema drive-thru, e outro no Museu Conde de Linhares, em São Cristóvão, apenas para pedestres. Os locais seguem o calendário de vacinação estabelecido pela cidade do Rio.

Segundo o general José Eduardo Pereira, para agilizar a troca de dados entre os municípios e o governo federal, todo o processo de cadastramento da vacinação será digital. O militar não descarta que outros espaços do Exército sejam cedidos para a campanha.

— Conversamos com o prefeito sobre essa parceira. Recebemos um treinamento específico da secretaria (municipal de Saúde) para essa missão. Se a Prefeitura precisar de mais locais para a vacinação, vamos apoiar. Temos uma estrutura para atender e colaborar — disse o general.

O militar informou ainda que, “para não ter dúvida que a vacina está sendo aplicada, todo o procedimento será gravado”.

Veja como estão as restrições na cidade:

Até as 21h

  • Bares
  • Lanchonetes
  • Restaurantes
  • Quiosques da orla

Foi estipulada uma hora de tolerância para o efetivo encerramento dos serviços nestes locais.

  • Clubes sociais e esportivos (as áreas de lazer abertas a partir das 6h)

Do meio-dia às 21h:

  • Museus
  • Galerias
  • Bibliotecas
  • Cinemas
  • Teatros casas de festa
  • Salas de apresentação
  • Salas de concerto
  • Salões de jogos
  • Circos
  • Recreação infantil
  • Parques de diversões, temáticos e aquáticos
  • Pontos turísticos
  • Exposição de arte
  • Aquários
  • Jardim Zoológico
  • Demais atividades de prestação de serviço

Das 10h às 18h:

Das 8h às 17h:

  • Órgãos não essenciais da administração pública

O que continua suspenso:





Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui