Proibição de acesso ao Morro do Itaoca em Campos, RJ, durante os finais de semana agrada visitantes | Norte Fluminense

1
254


O Morro do Itaoca, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, segue fechado aos fins de semana. Segundo o decreto de medidas de distanciamento social do município, a visitação ao Itaoca só pode ocorrer de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e, mesmo assim, limitada a 35 pessoas por vez.

Apesar da proibição, a movimentação foi intensa durante a manhã deste sábado (12) ao redor do Morro, principalmente de ciclistas. Grande parte dos praticantes andava sozinho ou em duplas. O decreto permite atividades ao ar livre em grupos de até cinco pessoas.

Morro do Itaoca segue fechado aos finais de semana — Foto: João Villa Real/Inter TV

Mesmo sem poder acessar a área, quem frequenta o local regularmente aprovou as medidas.

“Eu acho que é válido sim. Se o Morro estivesse aberto hoje, seguramente ia ter muita gente aglomerada esperando para subir”, disse José Inácio, aposentado de 60 anos que diz visitar o Itaoca diariamente.

“Antes da pandemia, eu já vi mais de trezentas pessoas aqui. Agora, não tem condição”, opinou.

O engenheiro Fernando Pereira, que veio ao Itaoca pela primeira vez depois do início da pandemia, também achou a medida correta.

“Lá em cima é um espaço menor, as pessoas ficam mais próximas umas das outras. O controle de visitas no Morro é muito importante”, declarou.

O Morro do Itaoca reabriu depois de decreto municipal do dia 16 de julho. Inicialmente, a visitação era permitida somente de segunda a quarta. Dias depois, a Prefeitura autorizou a reabertura nas quintas e sextas. O decreto atual é válido até o dia 20 de setembro.

Morro do Itaoca segue fechado aos finais de semana — Foto: João Villa Real/Inter TV

Desde novembro do ano passado em obras, o Morro do Itaoca reabriu com uma série de revitalizações concluídas. Dentre as modificações, a área conta com nova guarita, banheiros, estacionamento, e uma nova pista de voo livre, com medidas padrão para competições nacionais.

Segundo a Prefeitura, a obra foi custeada com recursos do Fundo Municipal do Meio Ambiente (Fummam).

Veja outras notícias da região no G1 Norte Fluminense.



Fonte: G1

1 COMENTÁRIO

  1. Fecha um ponto turístico onde o intuito da visita é contemplar a natureza, caminhar, respirar um ar mais limpo, e deixa os bares abertos sem fiscalização, fizeram por 3 meses uma barreira sanitária falha e suas ruas de comércio lotadas e quase ninguém de máscara. Fiscalização campista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui