Macaé, RJ, recebe Ônibus Lilás com ações gratuitas de combate à violência contra mulher nesta segunda-feira | Região dos Lagos

0
24


A cidade de Macaé, no Norte Fluminense, vai receber nesta segunda-feira (25) a visita do Ônibus Lilás (Unidade Móvel de atendimento às mulheres), do Programa “Mulher, viver sem violência”. Será das 10h às 15h, na Praça Washington Luiz, no Centro. Entre os serviços oferecidos no dia estão: isenção de taxas de 2ª via de documentos, orientação jurídica, psicológica e orientação de assistência social para as mulheres, além de inscrições para cursos de qualificação profissional.

O ônibus é uma ação da Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres, que atua em parceria com os municípios oferecendo um espaço móvel com salas de atendimento de assistência social e jurídica, para acolher essa mulher e orientar acerca dos seus direitos. Jane Roriz, coordenadora do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), comemora a realização do serviço.

“Receber o Ônibus Lilás e sua equipe no município de Macaé. com uma ação em conjunto com a equipe do Ceam, de uma forma itinerante, é de grande importância, pois visa desenvolver estratégias na linha da prevenção, na garantia do empoderamento das mulheres e direitos humanos como, por exemplo, a divulgação da Lei Maria da Penha, das formas de prevenção, dos mecanismos para romper com a situação de violência, a divulgação dos direitos das mulheres no âmbito das várias políticas públicas e realização dos encaminhamentos do serviço da rede. Tenho certeza que vai ser bem positivo mais essa parceria com o governo do estado trazendo o ônibus para que a gente possa contemplar o maior número possível de mulheres”, explica Jane.

Denúncias de casos de violência contra a mulher podem ser feitas, de forma anônima, em delegacias e órgãos especializados, como a própria Ceam. O “Ligue 180”, central de atendimento à mulher, funciona 24h, é gratuito e confidencial. O canal recebe denúncias e esclarece dúvidas sobre os diferentes tipos de violência aos quais as mulheres estão sujeitas. A mulher vítima de violência também pode procurar ajuda em farmácias e drogarias marcando um “X” vermelho na palma da mão.



Fonte: G1